Muito prazer

Minha foto

Comecei a vida em Santos e cresci educada de acordo com as tradicionais regras que, muitas vezes, envolvem o machismo brasileiro. Mudei. Fiz faculdade fora. Ganhei liberdade, responsabilidade e identidade. Hoje, com 32 anos, estou casada com um homem fabuloso e espero nosso primeiro filho. Um sonho de gente grande, mas que espero desde criança: o da maternidade. O assunto sempre me fascinou e hoje, me pego com o corpo começando a deformar e sintomas nada agradáveis. Sabe o bom da história? Dou risada de tudo! Da azia, das ânsias intermináveis, da fome colossal e do tanto de cremes de estrias que hoje povoam meu banheiro. Isso é somente a primeira fase. Tenho certeza que, depois desta gravidez, continuarei rindo de mim mesma por inúmeros motivos, inclusive por me pegar em diversas situações que jamais imaginei passar.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Verão antes e depois. De ter filho, claro.



Antigamente, na minha maxi bolsa de praia eu levava tudo o que era necessário para um dia ou um turno de curtição sob o sol, sem hora pra começar e muito menos pra acabar.
- chinelinhos e biquíni novos
- protetor solar fator 30 ou maior para o rosto
- um FPS menor para bronzear o corpo
- chapelão
- protetor labial para não rachar a boca
- creme para hidratar os cabelos pós-mar ou pós-piscina
- esteirinha, canga e toalha estilosa
- óculos escuros sem riscos
- batom nude e um rimelzinho à prova d'água
Durante o dia na praia dava para tomar uma caipirinha, tirar uma sonequinha sob o sol na hora da viradinha para queimar de bruços, comer um picolé ou um milho verde tranquilamente, reabastecer a água mineral geladinha sempre que a sede bate, torrar sob o sol do meio-dia mesmo sem guarda-sol....coragem!!!

BACK TO REALITY...
Hoje em dia como é a vida de mãe com criança indo para a praia
A minha bolsa já era...cato um protetor, dinheiro e documentos e coloco na outra bolsa. Sim, a do João...rs.
Esta bolsa contém tem o protetor solar dele, a comida dele (vai que não encontro nada que ele goste e/ou esteja com vontade comer na praia? Criança alimentada = mamãe feliz. Praticamente uma equação matemática), água e frutas fresquinhas (em embalagens térmicas para não perder o gelo no calor, óbvio), biscoito de polvilho, suco, chupeta, uma mamadeira pronta, trocas de roupa (umas 2 pelo ao menos), fraldas (normais e de piscina), talheres infantis, lencinhos umedecidos (e se ele fizer o número 2 na praia?), chinelo, boné e por aí vai...
Ah! Tem outra bolsa (sacola), grande, que traz dentro balde, pás, carrinhos e mil outros brinquedos que "eu sei que ele gosta".
O meu biquini não é exatamente o ideal para uma temporada de verão mas pelo ao menos não aparece o "signo" na hora que eu abaixo para dar comida ou limpar o rostinho dele sujo de areia, por exemplo.
Chapéu? O último (e único) que eu usei estragou. Sim, claro, caiu no mar. Hoje só boné. Passo rapidamente um protetor solar nos ombros poqrue, claro, a prioridade é besuntar cada centímetro de João Ricardo. Ah! E não é de 2 em 2 horas como nos adultos nãããããooooo: e a cada 20 minutos, mais ou menos, afinal, ele fica dentro da piscina com água o tempo todo...
Demorei para comprar um par de óculos escuros no verão passado então estou com o mesmo de, na verdade 2009...ainda bem porque está todo riscado...sim para que tantos brinquedos de praia se os óculos da mamãe são tãããão legais?
Brincos: Só se forem minúsculos, aqueles colados na orelha, tipo bolinha, senão o João arranca, engancha no roupão, na toalha...enfim...
Nossa, agora me dei conta que só uso o brinco pequeno depois que o João fez 6 meses (ele já está com 1 ano e oito meses)...ahahahaha
Beber água, comer algo? ahahahaha. Só se for as sobras da criança, né? Ou ao menos que vc esteja acompanhado de, no mínimo mais duas pessoas, para que elas olhem a criança enquanto vc come um milho verde ou toma uma água de côco...
Lembra da soneca quando a gente deita de bruços para tomar sol? HA-HA-HA...será somente depois que vc chegar em casa, descarregar todo o carro, colocar a criança no berço e arrumar tudo de volta no lugar. Daí, quem sabe, o João ainda não acordou e eu consigo esticar as pernas uns 15 minutos? Com sorte, sim.
Isso que sequer mencionei o que se faz quando o guarda-sol voa ou falta água limpa para limpar a mão dele cheia de areia que insiste em ir para os olhinhos...
Com tanta diferença entre uma experiência e outra, é fácil imaginar que a primeira opção é muito mais atraente.
Mas, quem está lendo este post é porque sabe que a segunda situação é trabalhosa sim, mas muito melhor, mais divertida e mais compensadora.

2 comentários:

  1. Adooooro! Engraçado me senti muito familiarizada com a situação, por que será dona Neila??? rs
    Mas fala a verdade: muito mais legal ir a praia agora, não?
    Acho que mãe é meio louca, mas como vc mesma disse, só quem é mãe para concordar com isso...

    ResponderExcluir
  2. Fralda pra piscina, como assim? Modernidade...

    ResponderExcluir