Muito prazer

Minha foto

Comecei a vida em Santos e cresci educada de acordo com as tradicionais regras que, muitas vezes, envolvem o machismo brasileiro. Mudei. Fiz faculdade fora. Ganhei liberdade, responsabilidade e identidade. Hoje, com 32 anos, estou casada com um homem fabuloso e espero nosso primeiro filho. Um sonho de gente grande, mas que espero desde criança: o da maternidade. O assunto sempre me fascinou e hoje, me pego com o corpo começando a deformar e sintomas nada agradáveis. Sabe o bom da história? Dou risada de tudo! Da azia, das ânsias intermináveis, da fome colossal e do tanto de cremes de estrias que hoje povoam meu banheiro. Isso é somente a primeira fase. Tenho certeza que, depois desta gravidez, continuarei rindo de mim mesma por inúmeros motivos, inclusive por me pegar em diversas situações que jamais imaginei passar.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Minha primeira foto!


Gente esta não foi o pai do João quem tirou (assim como serão milhões, milhares pela vida afora), mas com certeza será a mais inesquecível!

João Ricardo!!


Desenvolvimento fetal - 25 semanas de gravidez

O bebê agora já se aproxima de 700 gramas e mede 35 centímetros da cabeça até o calcanhar. Veja detalhes na figura abaixo e continue a ler.

O bebê faz o movimento da respiração, mas ainda não há ar nos pulmões. Com 26 semanas, exames de imagem cerebral em fetos mostram que há reação ao toque. Se você aproximar uma luz forte da barriga, o bebê vai virar o rosto, o que, segundo pesquisadores, indica que o nervo óptico está funcionando.

Em toda consulta do pré-natal, o médico vai tirar sua pressão e ouvir o coração do bebê. Também pode ser que peça exames de sangue e de urina para detectar e controlar problemas típicos da gravidez como pré-eclâmpsia e diabete.

Você pode estar sentindo um pouco de dor e sensação de dormência nas mãos, nos pulsos e nos dedos. A região do túnel do carpo, no pulso, está inchada, assim como vários outros tecidos no seu corpo. Os nervos que passam por esse túnel acabam sendo pressionados, e essa pressão se manifesta na forma de dor aguda ou acompanhada da sensação de queimação.

O uso de uma faixa elástica pode ajudar, assim como a ingestão de vitamina B6. Converse com seu médico para discutir como se sentir melhor.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Cientistas dizem estar pertos de criar "tradutor" de choro de bebês


O sistema desenvolvido analisa a frequência e a potência do choro do bebê para classificá-lo

Um grupo de cientistas japoneses desenvolveram um programa de computador capaz de analisar o choro dos bebês. Por enquanto, o sistema consegue diferenciar o choro decorrente de alguma dor dos demais tipos.

Os pesquisadores acreditam que, em breve, o tradutor do choro dos bebês poderá dizer aos pais se seus filhos então com sono, fome, precisando trocar de fralda ou com dor.

Nos resultados divulgados na mais recente edição do International Journal of Biometrics, os japoneses afirmam que conseguiram um índice de 100% de acerto em seus testes para diferenciar quando o bebê chora porque está com dor de quando chora por outras razões.

Para conseguir isso, o sistema desenvolvido analisa a frequência e a potência do choro para classificá-lo.

Apesar de estarem usando uma grande estrutura de computadores para realizar a análise, os cientistas acreditam que a técnica poderá ser implantada em monitores portáteis ou até mesmo aparelhos de celular.

A empresa te tecnologia espanhola Biloop já havia lançado em novembro do ano passado um ("Tradutor de choro", em inglês). Segundo a empresa, os testes teriam comprovado que o programa acerta 96% das vezes, mas nem todos os consumidores concordaram.

Tomomasa Nagashima, professor do Instituto de Tecnologia Muroran, em Hokkaido, no Japão, e um dos líderes do projeto, diz que a tentativa de ajudar os pais a interpretar o choros dos bebês realmente não é nova, mas que os monitores do futuro poderão traduzir o choro dos bebês para que os pais saibam o que significa com absoluta certeza".

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

A mais cara!!

Matéria publicada no Jornal Folha de São Paulo desta quinta, 25 de fevereiro

Escola bilíngue para bebês custa até R$ 5.388 por mês
Primetime Child Development, que usa método de Harvard, é a mais cara de SP, diz pesquisa

Uma escola que não gosta de ser chamada de escola, que não tem sala de aula e que acredita que crianças de zero a três anos estão no ponto máximo de desenvolvimento intelectual. No Primetime Child Development, que se autodenomina um "learning center" -algo como centro de aprendizagem-, os bebês devem aprender a cada segundo, seja na hora do banho ou da alimentação.
Segundo levantamento do recém-publicado "Guia Escolas 2010", feito com 185 escolas, o Primetime, que fica na zona oeste, cobra a maior mensalidade da cidade de São Paulo -que tem 3.730 colégios, de acordo com os dados mais recentes, de 2006.
Criado há três anos, bilíngue e com apenas 36 alunos, o Primetime chega a custar R$ 5.388 mensais para um período de 11 horas diárias.
A mensalidade depende da carga horária e começa em R$ 2.996, para quatro horas diárias. O valor inclui alimentação e o material usado -que, em sua maior parte, do creme dental aos livros e brinquedos do playground, é importado.
A ideia, afirma o diretor Eduardo Bruder, é oferecer o que há de melhor para as crianças. Caso o melhor for fabricado no exterior, o Primetime traz para o Brasil.

Arquitetura
Ganhador de prêmios nacionais e internacionais de arquitetura, o prédio foi projetado por Marcio Kogan para se adaptar totalmente às necessidades dos bebês.
Não tem degraus, só rampas; os pisos internos são aquecidos, e os externos, emborrachados; o lactário tem sistema especial de circulação de ar para melhor higienização das mamadeiras; as janelas ficam na altura da visão das crianças.
O diretor ressalta, no entanto, que, mais importantes que a estrutura, são a formação da equipe e a metodologia. "O prédio está a serviço de um conceito", afirma Bruder.
O método de ensino se baseia no Projeto Zero da Universidade Harvard (EUA), que tem como missão entender e melhorar o aprendizado, o pensamento e a criatividade. Princípios da neurociência são aplicados a todas as atividades, das brincadeiras à troca de fraldas.
As turmas têm no máximo três crianças para que "o potencial de cada uma delas seja desenvolvido ao máximo" -frase que é quase um mantra, repetido pela direção e por pais de alunos.
As educadoras -não ouse chamá-las de tias- têm ensino superior e passam por um curso de um mês para se familiarizar com a metodologia.

A menor
No outro extremo do levantamento do "Guia Escolas", a Escola Técnica Sequencial, na zona sul, tem a menor a mensalidade -a partir de R$ 160.
Ela oferece cursos técnicos para quem se formou no ensino médio e aulas de supletivo para aqueles que ainda precisam terminá-lo.

É preciso focar no afeto, diz pedagoga

Um exagero. É assim que a psicopedagoga Maria Beatriz Loureiro de Oliveira, professora da Unesp de Araraquara e da Unifran (Universidade de Franca), define a preocupação com a proteção e também com o desenvolvimento intelectual das crianças, ambos cada vez mais comuns em instituições como o Primetime.
Ela acha que a estimulação precoce realizada pelas escolas é importante, mas pode ocorrer até os seis ou sete anos de idade -e não só até os três. Leia trechos da entrevista:

FOLHA - O quanto toda essa preocupação é importante?
MARIA BEATRIZ LOUREIRO DE OLIVEIRA - Você tem alguns prós e muitos contras. Eu penso muito na questão do afeto e essas escolas estão pensando muito no desenvolvimento intelectual. Isso pode prejudicar a relação afetiva das crianças com a própria família e com as outras pessoas.

FOLHA - Como o desenvolvimento afetivo ocorre?
MARIA BEATRIZ - [Ocorre] Quando a criança lida com diversidade, estimulada por relações com pessoas ou com o ambiente. O estímulo precoce é interessante, mas o mundo real exige contato com a diversidade.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Fotos fofas

Gente, não consigo salvar as fotos, ams vou deixar o link que vale muito a pena ser acessado.
Aliás, já combinei com o Ricardo de produzirmos fotos destas com o João Ricardo ainda na primeira semana de vida.
Fofo!
http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/album/bbc/100222bebe_album.jhtm?abrefoto=1

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Olha ele aí...É o meu guri!


Desenvolvimento fetal - 24 semanas de gravidez

O feto pesa mais de 600 gramas. Ele é bem magrinho e a pele é fina e frágil, mas as proporções do corpo já se aproximam das de um recém-nascido.

O cérebro está crescendo rápido, e o espaço dentro do útero começa a ser totalmente preenchido.

Se por acaso você entrar em trabalho de parto nesta fase, os médicos farão de tudo para contê-lo, para que seu bebê tenha mais tempo de continuar a amadurecer. (bate na madeiraaaa!!!)

Pode ser que você repare que apareceram linhas claras, vermelhas ou amarronzadas na sua barriga, no bumbum e nos seios, as temidas estrias. (N-E-M F-E-R-R-A-N-D-O!!!!!)

Elas são muito comuns neste estágio da gravidez -- afetam nada menos que 90 por cento das mulheres. Depois do parto, a pigmentação vermelha ou marrom das estrias vai sumindo, e as linhas ficam mais claras que o resto da pele.

Seus olhos também podem estar incomodando como se tivessem areia, ou sensíveis à luz. Esse é mais um sintoma normal da gravidez, embora menos conhecido. (realmente estou mais cega do que o normal...)

Você pode usar soluções que imitam lágrimas para aliviar a secura e o desconforto. Peça indicações ao seu médico. (Fresh Tears jááááá!!)

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Como emagrecer após o parto?

Cada litro de leite que a mãe produz gasta, em média, 900 calorias

Depois dos nove meses mais longos da vida de uma mulher, enfim, o bebê nasceu e é perfeito. O que não está tão bonito assim é o corpo da mãe, que ainda apresenta as “gordurinhas” adquiridas no período de gestação. Mas não é preciso desespero. Ao seguir algumas dicas, logo o espelho volta a conhecê-la.

De acordo com a professora de Nutrição da Universidade Nove de Julho (UNINOVE), Thelma Fernandes Feltrin Rodrigues, não é recomendado que a mulher faça dietas com grandes restrições calóricas após o parto, para não prejudicar a oferta de nutrientes (a exemplo do cálcio e da vitamina D) ao bebê. Por essa razão, a montagem do cardápio deve ter a supervisão de um nutricionista.

Como a preocupação é, sobretudo, com a criança, seguir a orientação dos médicos favorece mãe e filho. “O ato de amamentar auxilia na redução de peso pós-parto, uma vez que, para produzir o leite humano, a mulher tem um gasto energético elevado: a cada litro são 900 calorias. Além do mais, os processos de produção e de liberação do leite estimulam as contrações uterinas, auxiliando o retorno ao tamanho original do órgão”, explica a professora.

Não se descuidar da alimentação faz toda a diferença. Diariamente ela deve ser equilibrada e variada, composta por frutas, verduras e legumes, além dos cereais (arroz, milho e trigo), das leguminosas (feijão, ervilha e soja), das carnes (de peixe, de frango e bovina) e dos laticínios. “É importante que as refeições sejam bem distribuídas ao longo do dia, fracionadas em seis vezes, para que não haja grandes períodos sem alimentação”, incentiva a nutricionista.

Ingerir bastante líquido e deixar de consumir alimentos com alta densidade calórica e baixa oferta de nutrientes – como doces, lanches vendidos em fast food, frituras, biscoitos recheados e refrigerantes – são atitudes importantes para prevenir o aumento de peso. “É fundamental lembrar que o consumo de bebidas alcoólicas durante a amamentação deve ser evitado”, alerta Thelma.

Praticar uma atividade física também pode ser interessante. Para quem sempre se exercitou – inclusive, durante a gestação –, basta esperar uma semana antes de voltar ao ritmo anterior. Já as pessoas sedentárias precisam esperar o restabelecimento do parto. O retorno pode ser feito, em média, após 20 dias. “Para a redução de peso, a atividade mais recomendada é a aeróbica, como caminhar, andar de bicicleta, correr ou nadar. Porém, o alongamento, a ioga e o relaxamento também são importantes para o período do puerpério”, explica a coordenadora do curso de Fisioterapia da UNINOVE, Profa. Fernanda Varkala.

Quem quiser pode fazer, inclusive, alguma atividade junto com o bebê. “Esses exercícios serão benéficos tanto para a parte física da mãe quanto para o seu estado emocional, uma vez que possibilitará o estreitamento dos laços com o seu filho”, salienta a fisioterapeuta. Portanto, para ficar em forma, alimente-se corretamente, amamente e faça exercícios físicos!

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Morte súbita de bebê tem fator de risco conhecido

Mais de 96% dos bebês vítimas da síndrome da morte súbita infantil tinham sido expostos aos fatores de risco já conhecidos, como dormir de bruços ou contato com o cigarro. Além disso, 78% tinham múltiplos fatores de risco. Isso é o que mostra um estudo que avaliou dados de um centro sobre a síndrome nos Estados Unidos e que será publicado na "Pediatrics". O artigo reforça a necessidade da conscientização sobre os fatores de risco.

20 perguntas sobre alimentação

1 - Posso dar peixe na primeira papinha?
Sim, mas somente para criança a partir dos seis meses. Se o bebê não tem essa idade, melhor aguardar. "Antes da introdução dos alimentos que podem causar reação alérgica é preciso avaliar antecedentes de alergia na família", diz Roseli Sarni, da SBP. Em geral, ela afirma, a aceitação ao peixe tem sido muito boa e sem relatos de reação alérgica.

2 - A reação alérgica ao peixe é comum?
Não. Cerca de 2,5% da população infantil pode desenvolver alergia ao leite, 1%, ao ovo e menos de 0,5%, ao peixe. "O peixe é uma ótima fonte proteica, com ferro que é bem absorvido pelo organismo", diz Mauro Toporovski, professor da Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo.

3 - Quais peixes são os mais adequados?
Os macios e sem espinhas, como cação e porquinho. Podem também os que são fonte de ômega 3 (salmão), gordura poli-insaturada importante para o desenvolvimento do sistema nervoso central, da retina e na prevenção de doenças crônicas, como obesidade e hipertensão. "A presença dessa gordura também facilitaria ao organismo ter tolerância aos alimentos", explica Roseli Sarni.

4 - Dá para iniciar a papinha com ovo?
Sim. Já se pode incluir o ovo cozido inteiro (ou metade), bem amassado. É uma boa fonte de gordura e de colesterol bons se oferecido entre duas e três vezes na semana. Mais do que isso há excesso de colesterol. O ferro do ovo é pouco absorvido pelo organismo e não é fonte de zinco, portanto, ele não substitui as carnes.

5 - Pode colocar carne em pedaços?
Sim. Caso não seja possível desfiar ou amassar a carne, ela pode ser desmanchada no liquidificador. Quando o bebê conseguir mastigar, a carne é oferecida em pedacinhos. "O ferro da carne, vermelha ou branca, é quase três vezes mais absorvido pelo organismo do que o das leguminosas e hortaliças", diz Mauro Toporovski.

6 - Há diferença nutricional entre a papinha feita só com caldo de carne e a feita com pedaços?
Sim. A nutricionista Tânia Rodrigues, diretora da RG Nutri, de São Paulo, explica que em 30 gramas de carne há cinco gramas de proteínas. Uma papa sem carne não tem o nutriente essencial para o crescimento do bebê. "Cerca de 50% da formação celular das crianças dessa idade vêm da proteína", diz. As proteínas são essenciais para a multiplicação das células de ossos, pele, cabelo, unhas e órgãos.

7 - Quais carnes vermelhas são mais indicadas?
Músculo, além de patinho, coxão mole, alcatra e fraldinha.

8 - Famílias vegetarianas podem dar apenas papinha sem proteína animal?
Famílias que não comem nem carne branca nem ovo necessitam de acompanhamento nutricional com especialistas para evitar que a criança tenha deficiência de ferro. Segundo a SBP, a partir do sexto mês cerca de 70 a 80% de ferro e zinco que o bebê precisa devem vir de comidinhas saudáveis, e não do leite. O alimento mais eficaz para um aporte rápido desses minerais é a carne.

9 - O que é melhor: dar um ingrediente por vez ou misturar tudo?
A papa de transição deve ser misturada para o bebê se acostumar à consistência e à textura. Entre oito e nove meses, se inicia a separação dos alimentos.

10 - Pode usar sal?
Nunca. Os alimentos e o leite já contêm sódio que supre as necessidades diárias do bebê até um ano de idade. "Pode colocar essa resposta em letras bem grandes porque é muito difícil convencer mães, cozinheiras, babás e avós a evitar o sal na papinha, pois os brasileiros gostam de comida salgada", diz Mauro Toporovski.

11 - Quais temperos podem ser incluídos?
Salsa e cebolinha, cebola e um fiapo de alho.

12 - Pode colocar óleo?
Sim. Um fio de óleo vegetal, que não contém colesterol, quando a papa está pronta. "Em geral, quando se faz um refogado, a queima do óleo produz uma substância que é irritante para a mucosa gástrica (a parte interna do estômago) para os adultos e em particular para os bebês", explica a nutricionista Tânia Rodrigues.

13 - O que é proibido?
Temperos prontos, em tabletes ou pó. Atenção com espinafre, beterraba, rabanete, erva-doce. "Quando esses alimentos são reaquecidos, os nitratos presentes neles são convertidos em nitritos e nitrosaminas, substâncias carcinogênicas", diz Roseli Sarni.

14 - Quais são as sobremesas mais indicadas para os bebês? Por quê?
Os purês de frutas cozidas sem açúcar, como o purê de maçã. Também se pode oferecer salada ou sorvete de frutas sem açúcar e feitos em casa. "Se a mãe quiser variar a sobremesa, deve mudar a forma de preparo ou apresentação da fruta", diz Roseli Sarni.

15 - Por que dar apenas frutas de sobremesa?
Porque é a sobremesa ideal para atingir as porções necessárias para serem ingeridas num dia. Melhor ainda que sejam frutas ricas em vitamina C, como a laranja, para ajudar na absorção de ferro. Além disso, elas estimulam a mastigação e o bom funcionamento intestinal, pois também fornecem fibras. Roseli Sarni explica que nesse período o paladar infantil está sendo moldado e se a criança comer mais alimentos doces do que os de qualquer outro sabor pode criar um padrão e aceitar apenas comidinhas doces. Ou seja, quando a criança tiver de comer "os verdes" será um perrengue, porque o paladar dela prefere bolo, bala e bolacha recheada.

16 - Então, não pode dar bolacha recheada?
Nunca antes de a criança completar dois anos. Segundo Tânia Rodrigues, nutricionista da RG Nutri, dar alimentos saudáveis favorece o bom funcionamento do sistema gastrointestinal, a aceitação de sabores salgados, amargos e azedos. E esse tipo de bolacha costuma ser "recheado" de açúcar e gordura.

17 - Não é para dar nenhum tipo de bolacha?
Pode dar, sim. Os biscoitos simples, como os de água, que, quando liberados pelo pediatra, podem ser incluídos nos lanches da manhã ou da tarde com sucos de frutas. "Esse tipo de biscoito sem recheio e com sabor suave, assim como o pão francês amanhecido, ajudam no estímulo à mastigação", diz Tânia Rodrigues.

18 - Bebês podem comer gelatina artificial?
Não, porque são alimentos extremamente ricos em açúcar refinado, corantes ou conservantes e edulcorantes (mesmo a versão normal). "As gelatinas não são recomendadas em uma alimentação saudável", afirma Roseli Sarni.

19 - Pode-se oferecer água ou suco para o bebê matar a sede após a papinha?
"Nas fases iniciais de introdução da alimentação complementar, antes da plena aceitação, recomenda-se leite materno", explica Roseli Sarni. Quando o aleitamento materno exclusivo termina, o bebê que já se acostumou com a papa de legumes e carne pode beber água nos intervalos das refeições e nos dias mais quentes.

20 - Por que manter a oferta de leite materno após a papinha?
Segundo Sarni, além de ser um alimento completo, há estudos mostrando que o leite materno protegeria o bebê de reações alérgicas à comida nesse período de transição. "Mas isso é controverso, pois há documentos indicando que o leite materno não teria esse efeito protetor." A oferta do leite materno após a papa ocorrerá por um curto período de tempo, até o bebê se acostumar à refeição.

Maus hábitos de berço


Pesquisa revela má qualidade da dieta dos bebês brasileiros; especialistas esclarecem as 20 principais dúvidas sobre o cardápio infantil

Uma das grandes certezas da vida é a de que os pais desejam dar aos filhos tudo do bom e do melhor. Poderiam, então, começar pelo básico: oferecer comida de boa qualidade quando os herdeiros ainda são bebês, algo que não ocorre de acordo com um estudo inédito da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria).
O documento, que será publicado no "Jornal de Pediatria", mostra que a família brasileira está oferecendo alimentos cheios de gordura, açúcar, sal, corante e outros aditivos alimentares para bebês com quatro meses de idade.
Participaram do estudo 179 crianças, entre quatro e 12 meses, de famílias das classes A, B e C de São Paulo, Curitiba e Recife. O objetivo era saber o que elas comiam durante sete dias. As mães foram orientadas a anotar tudo em uma planilha.
No meio da papelada, apareceram lasanha pré-pronta congelada, macarrão instantâneo, refrigerante, salgadinho tipo batata chips, chocolate, suco artificial e muita bolacha recheada. Os bebês também bebem muito leite de vaca.
Nenhum dos alimentos citados acima deve entrar na alimentação dos bebês de até um ano de idade por terem baixo valor nutricional (engordam, mas não nutrem), serem ricos em gordura (inclusive trans), açúcar e sal. No caso do leite de vaca, por ser inadequado.

Maus hábitos
Outra constatação do estudo: os maus hábitos alimentares são generalizados. "Bebês dos três extratos socioeconômicos das cidades pesquisadas comem muito mal", diz Roseli Sarni, presidente do Departamento Científico de Nutrologia da SBP e uma das autoras.
"A alimentação da criança é reflexo da alimentação da família. Se a família tem hábitos não saudáveis, como o alto consumo de sódio (do macarrão instantâneo), de carboidratos simples (balas, doces) e de gorduras, a criança também terá."
Sarni suspeita que os pais careçam de informações sobre alimentação saudável, tanto para o bebê quanto para a família. "A falta de educação alimentar e nutricional aliada às práticas de marketing faz com que os pais se percam na hora da escolha alimentar."
A pediatra defende a adoção de políticas de educação nutricional e uma rigorosa legislação sobre a produção de alimentos para a mudança do panorama.

Self-service
Além de falta de educação alimentar, de ler e não entender os rótulos, Sarni suspeita que outro fator contribui para a má qualidade da comida infantil: os pais não sabem cozinhar. Fernanda Oening, 30, é adepta assumida do self-service.
"Nem sei como será quando a Clara começar nas papinhas, pois não tenho a menor intimidade com fogão e panelas", diz ela, que busca informações em sites ou com a mãe para não oferecer comida cheia de gorduras, sal ou açúcar à filha de cinco meses e meio.
Em breve, Clara entrará no mundo das papas de carne e legumes e é nessa etapa que moram todas as dúvidas de Fernanda. "Será que poderei usar sal, carne? Quantos legumes eu terei de colocar?", questiona.
Especialistas entrevistados pela Folha responderam a essas questões. E também às dúvidas sobre as mudanças que vêm sendo recomendadas desde 2008 pela SBP sobre as primeiras papinhas infantis, como a liberação do peixe e do ovo já aos seis meses de vida.
O peixe e o ovo só entravam no cardápio infantil entre oito e dez meses, pois contêm proteínas alergênicas. "Analisando trabalhos científicos, verificamos que não haveria limitação na introdução desses alimentos na dieta das crianças a partir dessa idade", explica Sarni.
Para Mauro Toporovski, pediatra da Santa Casa de São Paulo, as mães não precisam restringir a oferta por medo de uma reação alérgica.
Como toda mudança, essa também vem sendo adotada com cautela pelos pediatras. "Eles ainda têm muitas dúvidas sobre se podem, para quem pode e a partir de quando podem indicar", diz Sarni.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Ao João Ricardo

Nunca trocamos um olhar, mas posso sentir seu coração.
Nunca senti o toque delicado da sua pele, mais sinto a sutileza da sua vida a cada minuto.
Nunca ouvi o doce som de sua voz, mas para nós palavras não são necessárias.
Você nunca me beijou, mas sinto entre nós uma ligação eterna e tão profunda que é inútil tentar descrevê-la.
Sonho com o dia que irei segura-lo em meus braços, lhe dar todo o meu carinho e finalmente conhecer seu sorriso.
Esse sorriso passará a ser meu objetivo.!!
Prometo lutar por ele todos os dias. Peço que tenha paciência comigo, pois mesmo amando-lhe com toda a minha alma, estou aprendendo junto contigo, e, algumas vezes, talvez não saiba como fazer sumir todas as suas aflições.
Mas lhe asseguro que terás sempre o meu máximo. O máximo do meu amor, da minha proteção, da minha vida.
E quando não precisar mais de mim, prometo lhe passar todas as minhas experiências, mas jamais impedir que tenha as suas próprias.
Prometo te amar incondicionalmente!!
Você já vivia em meus sonhos... Sempre lhe esperei!

De sua mamãe...

PS. Texto enviado pela prima Lilian que (aposto!) ficou com os olhos marejados como os meus ao ler isso. Simplesmente magnífico!

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Papo de filhos

Cena - almoço de segunda feira de carnaval na casa da Vovó Margarida (mãe do Buga).
Menu: cuscus de camarão e saladinha verde. Delícia!
Estado: cansada, cansada, cansada. A quarta de cinzas chegou mais cedo para mim!
Papo após algumas taças de vinho, cervejas e tal:
Margarida conta a todos como curou a bronquite do Ricardo ainda quando menino: colocando uma piscina no quintal para ele nadar sem parar (isso explica o gosto do rapaz por água. Sim, praticamente um anfíbio!) e uma receitinha bacana: óleo de jacaré em todo dia 13 de agosto até sarar. Óleo de jacaré? 13 de agosto? Na minha cabeça ficaram pulsando estas questões. Na época, as benzedeiras ditavam remédios e simpatias. E foi assim que curou-se a bronquite de Ricardo. Detalhe: ele não sabia que tomaava óleo de jacaré. Achava que era um remédio qualquer. Descobriu na adolescência e nunca mais tomou. Óbvio. Mas aí, já estava curado. Graças a crença e ao esforço mútuo da família.
Bom, esta história aqui do pai do João Ricardo é para esboçar a que ponto chega uma mãe zelosa com a saúde do filho: havia todo um esquema para comprar o tal óleo de jacaré que mobilizava mais de uma pessoa na casa e tal, além da cumplicidade na mentira do irmão mais velho que tinha que jurar de pé junto que também tomava o tal remédio todo dia 13 de agosto (ah! dia este que tinha hora para o despertador tocar antes do sol nascer e toda uma preparação de mãe e pai para darem o óleo para o Ricardo).
Enquanto a conversa na mesa daquele almoço era de lembranças, na minha cabeça eu me perguntava: será que serei assim? Será que farei o possível e o impossível pelo João Ricardo?
Hoje já tenho a rsposta (sou rápida quando eu quero): SIM. Farei de tudo e mais um pouco para vê-lo bem, sorrindo e com saúde. Sempre. E aí de quem tentar atrapalhar meus planos! Como mãe pode tudo, seguraaaa que vou pra cima! Como diz minha amiga Helena: Devolve meu chip!! rs

O primeiro carnaval de João Ricardo

O carnaval foi agitado. Não, não pense em blocos de rua ou desfile na avenida. Foi em casa mesmo. Minha mãe e meu irmão vieram para cá. Mãe do Buga e Cia também. Ah! O tio Rodrigo também, ou seja, um sábado de carnaval em família. Foi ótimo. Adoramos. No domingo minha mãe ainda estava por aqui. Prorrogamos o churrasco qe havia começado no sábado. Eu estava bem, fazendo mil coisas, agiatada, coisa comum para uma ariana. Bom, na segunda de carnaval amis parecia quarat de cinzas. O cansaço tomou conta. A moleza era incontrolável e o calor insupotável. Fiquei lagarteando o dia todo. A sensação se estendfeu na terça-feira. Enquanto isso, João Ricardo pulava como doido na miha barriga! Não parou um minuto. Lindo! Adoro ele mexendo.

Detalhes do feto com 23 semanas

Desenvolvimento fetal - 23 semanas de gravidez

Seu bebê está pesando um pouco mais de meio quilo(João Ricardo está com 709 gramas!), com 29 centímetros de comprimento (ele está com 27 cm).

A audição já funciona, e ele consegue ouvir uma versão meio distorcida da voz da mãe, batimentos cardíacos e até os barulhos que o estômago da mãe faz. Outros barulhos altos que forem frequentes durante a gravidez, como o latido do cachorro ou o motor do aspirador de pó, não devem incomodar o bebê quando ele os escutar fora do útero.

Vários estudos já deram indicações de que os fetos preferem música clássica no útero, e um dos compositores testados e aprovados foi Vivaldi. (Vivaldi já!)

Toque As Quatro Estações para o seu bebê e preste atenção nos movimentos que ele faz. Ele fica quietinho nos trechos mais lentos, de adagio, e se agita nos mais movimentados, de allegro? Talvez você tenha um pequeno maestro vindo por aí.

Além dos avanços na audição do bebê, os pulmões estão se desenvolvendo para se preparar para respirar. Ele continua engolindo líquido, mas normalmente só vai fazer cocô pela primeira vez (o chamado mecônio) quando nascer.

Se por algum motivo tivesse que nascer agora, o bebê teria uma pequena chance de sobreviver (cerca de 16 por cento, em hospitais muito bem equipados e centros de referência), desde que com o atendimento médico adequado.

Cada dia a mais no útero faz diferença neste estágio. Nascendo com 24 semanas, a chance de sobrevivência, numa UTI de alta complexidade, sobe para 44 por cento.

Quanto a você, é bem provável que você esteja se achando meio desajeitada por causa da mudança no seu centro de gravidade. Talvez sua gengiva sangre quando você escovar os dentes (a minha sangra muuuuito!), e seu umbigo, que era "para dentro", resolva ficar saltado (sim, isso está acontecendo! Afff). Não se preocupe. Ele vai voltar para o lugar pouco tempo depois do parto.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Motivos para se casar com um (uma) jornalista:

Jornalista geralmente é criativo, ele vai surpreender você quando menos esperar;
São curiosos e antenados, você sempre ficará por dentro de tudo que acontece;
Eles não ganham bem, mas isso é bom porque vocês podem aprender a economizar dinheiro;
No Natal, Ano Novo, Carnaval… eles provavelmente estarão na redação. Mas, pense pelo lado positivo: antes trabalhando do que vagabundando;
E outra! Trabalhando muito, eles não têm tempo de se interessar por outra pessoa;
Eles não são bons de matemática, mal sabem somar e subtrair; mas, para que saber isso se são os mestres da escrita?;
Acostumados com pautas, são bem organizados e planejam bem as coisas antes de fazê-las;
Como é fissurado por fontes, quando você tiver uma ótima ideia, ele não vai dizer aos amigos que foi coisa da cabeça dele. Dará todas as honras para você!;
Como vivem numa rotina corrida, não tem muito tempo para opinar nas coisas da casa. O que você fizer, ele vai achar lindo;
Tudo é um grande brainstorm (tempestade de ideias). Monotonia não vai entrar na sua casa!;
Quando vocês brigarem, ele não vai achar que a opinião dele é a melhor. Tem que ouvir todos os lados de um fato, ele saberá analisar a situação!;
Em coberturas de grandes eventos, você poderá entrar de gaiato. Cada final de semana em um lugar diferente: jogos de futebol, avenida de escola de samba, lançamento de livros…;
Mantêm revistas e jornais no banheiro. Você nunca ficará olhando para o vácuo enquanto faz suas necessidades fisiológicas. Ganhará conhecimento!;
Idolatram pessoas totalmente desconhecidas (o seu Zé, a Dona Maria, o Juquinha…) Todos com ótimas histórias de vida que vocês podem usar no cotidiano também para se tornarem pessoas melhores!;
Não vai faltar café na sua casa. Café e jornalista são praticamente sinônimos;
Ele pode escrever os votos matrimoniais da sua irmã, criar o conteúdo do site de negócios do seu pai, ensinar sua mãe a tirar fotos das amigas nos eventos do bairro. Ele aprende de tudo um pouco e gosta de compartilhar!;
Tudo para o jornalista tem uma explicação. Eles nunca vão se contentar com a primeira versão de um fato. Você sempre terá uma resposta, mesmo que demore;
São ótimos investigadores. Se alguém no trabalho passar a perna em você, rapidinho ele descobre quem é!;
Como trabalham muito, não tem tempo para beber demais, fumar, se envolver com drogas… Você terá um companheiro saudável!;
Tá bom, vai… eles não costumam comer coisas muito saudáveis. Mas se você for legal e fizer comida para ele levar ao trabalho, isso se resolve rapidinho, não é? =);
Suas viagens nunca serão monótonas! Se acontecer qualquer movimento estranho, ele vai logo querer saber o que é e infiltrará você junto para desvendar o problema;
Amam roupas leves e simples no dia a dia. Você não vai gastar muito dinheiro com isso;
Mas também sabem se arrumar bonitinhos para os eventos. Você terá um parceiro que sabe ser simples, mas também sabe arrasar. Tudo vai depender da ocasião;
A agenda é o seu melhor amigo. Mas, não fique com ciúmes! Pense pelo lado positivo, nunca vai esquecer nenhuma data importante, porque tudo fica rigorosamente descrito lá;
Eles não ficam irritados com “nãos”, afinal, estão acostumados com assessorias de imprensa que não querem divulgar os bafões. Você não terá um companheiro irritado, mas, em compensação ele não vai desistir até conseguir o que quer. Mas só de não se grosso já vale, não é!?;
Como são antenados, também sempre ficam sabendo das novidades tecnológicas primeiro. Às vezes, até ganham de presente para testar a ferramenta. Você terá tudo em primeira mão na sua casa;
Eles não se importam com calor, chuva, trovões… afinal, precisam estar onde a notícia está! Você poderá ir na praia com 50 graus tranqüila ou aquela viagem dos sonhos pode se tornar um pesadelo no caos de São Paulo que ele não vai blasfemar. Ainda vai dar risada da situação;
Acham que podem salvar o mundo com uma matéria. Olha que sensibilidade!;
Eles sempre sabem tudo todo o tempo;
Gostam de música para acalmar;
Leem livros raros, histórias para crianças e semiótica… Seus filhos serão super dotados se depender dele;
Sua vida social é infinitamente grande. Você nunca poderá reclamar que não conhece gente nova;
Eles estão acostumados com coisas chatas e sabem contorná-las muito bem. O casamento nunca vai virar algo monótono;
Eles gostam de camisas com estampas de alguma brincadeira sobre algo atual. Suas amigas vão ficar com inveja do seu companheiro inteligente;
Eles sempre têm uma opinião sobre qualquer coisa na face da Terra. Durante uma conversa entre amigos, vocês nunca ficarão apagados;
A maioria gosta de virar psicólogo, técnico de futebol e médico às vezes. Você terá um companheiro mil e uma utilidades;
Por causa da profissão, são forçados a aprender mais de um idioma. Você vai ouvir “Eu te amo” em, pelo menos, umas três línguas diferentes;
A primeira coisa que seu filho vai aprender é que a informação é a alma do negócio. Com dois anos, sua fofurinha vai saber o que é aquecimento global, mercado financeiro e já saberá criticar políticos;
Gostam de mudar de cidade, estado e até de país. Você conhecerá muitos lugares!;
Assistem documentários e vão a museus o tempo todo, não importa o que seja. Ô cultura!

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Calor e gravidez não combinam

Claro que no verão fica muito fácil ajustar um modelito ao corpo disforme da gravidez, mas confesso que esses 34 ou 35° que tem feito nos ultimos dias estão me matando. Dorde cabeça, mal estar, contagem regressiva para um banho gelado e deitar esparramada no sofá. Sim, no sofá que afunda e "me engola" onde só consigo sair de lá "resgatada" pela força de alguém.
Ontem cheguei do trabalho estressada, chateada, cansada, com uma dor de cabeça dos infernos e, claro, calor. Muito calor.
Tomei uma ducha fria. Gelada. Uma delícia. A dor de cabeça passou sem remédio!
Hoje estou vendo o resultado: dor de gargante, estado febril e aquela sensação de começo de gripe.
Pior: não posso tomat nadinha (a não ser Tylenol) para alivar este sintoma de "garganta assada" que me irrita demais!
Acho que é por estes perrengues que uma mãe passa que a faz amar incondicionalmente seu filho. É incrível como a natureza sabe fazer as coisas: existe um período que te prepara para aguentar dores que vc não aguentava, noites mal dormidas, nojos de coisas que vc simplesmente esquece que tem, enfim, uma infinidade de coisas que só Deus mesmo explica.

Desenvolvimento fetal - 22 semanas de gravidez

Seu bebê é agora uma versão mais magrinha de um recém-nascido. Ele pesa cerca de 430 gramas, e mede um pouco mais que 27 centímetros no total.

O corpo do bebê tem as proporções certas, mas ele ainda vai ter de engordar bastante. Enquanto isso não acontece, a pele fica enrugada. Os lábios e os olhos estão formados, embora a íris (a parte colorida do olho) ainda não tenha pigmentos. O pâncreas, essencial para a produção de hormônios, continua se desenvolvendo.

Os primeiros sinais dos dentes já aparecem, debaixo da gengiva. O tempo passa rápido e, quando você se der conta, seu bebê já terá seu primeiro dente.

A essa altura, você deve ter engordado entre 5 e 7 quilos. A partir de agora, o aumento de peso deve ser de pouco mais de 200 gramas por semana. Pode ser que apareçam vontades súbitas de comer alguma coisa, e você pode notar um aumento na secreção vaginal, embora sem a presença de sangue. As duas coisas são normais na gravidez.


Seu bebê
A cada dia, o rostinho do seu futuro bebê fica mais perfeito. Os lábios, as pálpebras e as sobrancelhas, que estavam se formando, estão mais visíveis. As unhas continuam a se desenvolver e já cobrem a ponta dos dedos. Na gengiva, estão surgindo os primeiros brotos dentários. São essas estruturas que vão originar os primeiros dentinhos. Porém isso só vai acontecer depois do nascimento, lá por volta dos 6 meses de idade. A pele, por enquanto, está toda enrugada, mas logo isso vai mudar. Afinal, ele ainda vai crescer, engordar e ficar mais rechonchudo com o passar das semanas.

Sua gravidez
Você deve estar curiosa para saber como será o rosto do seu futuro bebê. Ele vai puxar ao pai? Ou será a cara da mãe? No caso da dentição, é fácil prever o que a genética pode fazer. Basta olhar para o casal. A criança tem grandes chances de herdar uma mistura do sorriso da mãe e do pai. E, já que o assunto são os dentes, não deixe de redobrar os cuidados com a sua saúde bucal. A escovação correta, depois de cada refeição, é um cuidado essencial para prevenir cáries e infecções na gengiva. Além de incomodar muito, esses problemas podem prejudicar o bem-estar do feto. No dentista, atenção aos exames com raios X, que não são recomendados, e aos medicamentos proibidos para gestantes.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Limitações

Aos poucos, drante a gravidez, vc vai realmente entendendo o peso e o significado de tudo. O peso chega a cada subidinha na balança (óbvio) e a cada levantada do sofá. Sim, levantada do sofá. Nosso sofá sempre foi objeto de desejo de muitos amigos. Não que se trata de uma peça cara, design moderno, nada disso. Pelo conforto que ele dá mesmo, tanto que muitos amigos dormem nele facilmente. Bom, o problema comigo agora é que eu sento no sofá, ele afunda de uma meneira que eu não consigo mais levantar sozinha. Bafo, né? Eu sei. Pois é...situação constrangedora: Buga me ajuda aqui! Eu grito e ecoa pela casa toda...afff
Bom, fora isso rola uma dificuldade em calçar sapatos. Comprei rasteirinhas novas como mencionei aqui. Venci o preconceito de usar somente salto pela necessidade, mas confesso que estou amando. Agora, não consigo calçar a sandália, genteeee!!! A barriga dói e eu fico imaginando o bebe amassado enquanto eu, toda pata, tento (inutilmente) abotoar a sandália. Hoje de manhã falei: Buga, preciso de uma cadeira no quarto para conseguir calçar minhas sandálias! Ele respondeu: Você podia comprar aqueles Crocs coloridos que vai facilitar sua vida.
ahahahahaha
Parece piada mas ele falou isso mesmo.
Nunca diga nunca, mas confesso que Crocs é mesmo uma opção distante para a perua aqui que vos fala.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Foteeenhas


Desenvolvimento fetal - 21 semanas de gravidez

O feto agora pesa cerca de 360 gramas, e mede aproximadamente 27 centímetros no total -- a partir desta semana a medição passa a ser feita do alto da cabeça até o calcanhar.

As sobrancelhas e pálpebras estão prontas, e as pontas dos dedos já têm unhas.

Pode parecer inacreditável, mas seu bebê já é capaz de ouvir sua fala. Por isso você pode conversar com ele sem medo de se sentir boba. Vale até cantar e ler histórias.

Estudos mostram que recém-nascidos sugam com mais vigor ao escutar a leitura de um livro que tenha sido lido pela mãe durante a gravidez. Se você quiser tentar, escolha um e comece a ler em voz alta.

Mas pegue um livro de que você goste mesmo, porque é muito provável que você vá lê-lo inúmeras vezes depois que o bebê nascer, e há grandes chances de essa se tornar a história favorita do seu filho na hora de dormir, mesmo quando ele estiver maiorzinho.

Está se sentindo surpreendentemente bem nos últimos tempos? Talvez esta seja a época mais agradável da sua gravidez.

Você ainda não está pesada demais, e os incômodos mais comuns na gestação, como os enjôos, a vontade constante de fazer xixi e o sono permanente, já tenham melhorado bastante. Relaxe e aproveite o máximo que puder. O terceiro trimestre está chegando, e ele costuma trazer um pouco mais de desconforto.