Muito prazer

Minha foto

Comecei a vida em Santos e cresci educada de acordo com as tradicionais regras que, muitas vezes, envolvem o machismo brasileiro. Mudei. Fiz faculdade fora. Ganhei liberdade, responsabilidade e identidade. Hoje, com 32 anos, estou casada com um homem fabuloso e espero nosso primeiro filho. Um sonho de gente grande, mas que espero desde criança: o da maternidade. O assunto sempre me fascinou e hoje, me pego com o corpo começando a deformar e sintomas nada agradáveis. Sabe o bom da história? Dou risada de tudo! Da azia, das ânsias intermináveis, da fome colossal e do tanto de cremes de estrias que hoje povoam meu banheiro. Isso é somente a primeira fase. Tenho certeza que, depois desta gravidez, continuarei rindo de mim mesma por inúmeros motivos, inclusive por me pegar em diversas situações que jamais imaginei passar.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Vontade frequente de urinar

Por que tenho que ir ao banheiro com tanta frequência?

As idas constantes ao banheiro para fazer xixi são uma marca da gestação, especialmente durante o primeiro e o último trimestre. Na verdade, isso chega a ser um dos sinais iniciais da gravidez, como parte da grande mudança hormonal no seu sistema. Mais tarde, o tamanho aumentado do útero diminui a capacidade da bexiga, bem no momento em que você está produzindo um volume maior de urina. Mesmo com a bexiga vazia, você pode ter a sensação de que ela está cheia, por causa da pressão. Além disso, as gestantes às vezes têm dificuldade de esvaziar a bexiga complemente --outro motivo para o xixi mais frequente.

Há alguma dica para fazer menos xixi?

Não. Você pode até beber menos líquidos uma ou duas horas antes de dormir para diminuir o número de as idas ao banheiro durante a noite (mas continue a beber ao menos oito copos de água por dia). Saiba, porém, que até isso pode não surtir efeito. Algumas mães dizem que, pelo menos, tantas levantadas da cama e um sono tão entrecortado já vão servindo de "treino" para quando o bebê chegar.

Qual é o sinal de que pode haver um problema?

Fale com seu médico se sentir dor, queimação ou uma enorme vontade de fazer xixi e só fazer umas gotinhas depois. Pode ser que você esteja com uma infecção do trato urinário, que, se não for tratada, pode levar a uma infecção dos rins, o que, por sua vez, aumenta o risco de um parto prematuro.

Quando é que isso vai acabar?

Um pouco depois que o bebê nascer. Nos primeiros dias depois do parto, você fará até mais xixi, e com mais frequência, porque seu corpo está escoando todos o líquido extra retido durante a gravidez -- mais o soro que você pode ter tomado no hospital. Mas em pouco tempo sua necessidade de urinar voltará a ser o que era antes da gestação.

Quarto do bebe

Ontem nós vimos, pela primeira vez, os móveis para o quarto do Johnny. Tudo lindo, claro...hehehe
Mudamos para nossa casinha seta semana. Hoje estamos começando a "operação mudança". Somente após nossas instalações novas, vamos comprar os móveis lindinhos que vimos. Vou postar as fotos aqui de tudo arrumadinho.
Ansiedade....

João Ricardo com 20 semanas!


Desenvolvimento fetal - 20 semanas de gravidez

Seu bebê está ganhando peso, e mede agora cerca de 17 centímetros, do alto da cabeça até o bumbum, sem contar as pernas, que costumam ficar bem flexionadas.
Uma substância espessa e gordurosa, chamada verniz caseoso ou vérnix, envolve todo o bebê e protege a pele da imersão no líquido amniótico. Essa camada também ajuda no parto normal.
O bebê está engolindo mais líquido esta semana, num bom treino para o sistema digestivo. Depois que ele bebe o líquido, o corpo dele absorve a água e transfere o restante para o intestino grosso.
Uma boa maneira de se preparar para o parto e conhecer suas opções é fazer um curso pré-natal. Mesmo que você não seja marinheira de primeira viagem, esse tipo de aula pode trazer novas contribuições.
Tome um cuidado especial para obter ferro suficiente na alimentação. Seu bebê precisa dele para produzir glóbulos vermelhos, entre outras coisas. Se você não está tomando um suplemento vitamínico, pergunte ao seu médico se há necessidade, e não se esqueça de comer alimentos ricos em ferro, como carne vermelha magra, frango, peixe, lentilha e espinafre.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Poluição atmosférica influencia em problemas na gravidez

Publicado hoje na Agência USP de notícias

Os efeitos da poluição do ar, mesmo dentro dos níveis tolerados pela legislação brasileira, influenciam a gravidez contribuindo para o aumento de casos de baixo peso ao nascer e a ocorrência de prematuros. É isso que afirma a pesquisa do engenheiro Marcelo Moreno dos Reis em seu doutorado defendido recentemente pela Faculdade de Medicina da USP (FMUSP).
Mesmo em níveis abaixo do tolerado poluição influencia negativamente a gravidezA pesquisa analisou todos os nascidos vivos na cidade de Volta Redonda, no Rio de Janeiro, no período de janeiro de 2003 a dezembro de 2006, e comparou com as medições diárias de qualidade do ar feitas em diversos pontos da cidade. “Volta Redonda foi escolhida por possuir um parque industrial importante que compreende inclusive a usina da maior siderúrgica do País e pela necessidade da população em obter informações sobre os efeitos da poluição na saúde,” explica o engenheiro. Ele acrescenta ainda que o tráfego de veículos, principalmente caminhões, é bastante intenso na cidade. “Dessa forma temos poluição emitida por fontes móveis (veículos) e fontes fixas (indústrias).”
Para o levantamento dos dados sobre os nascimentos neste intervalo de tempo, o pesquisador utilizou o Sistema de Informações de Nascidos Vivos (Sinasc), do Ministério da Saúde, com dados fornecidos pela Secretaria Municipal de Saúde de Volta Redonda. Os dados referentes às emissões de poluentes atmosféricos foram gerados nas estações automáticas de monitoramento da qualidade do ar, ligadas ao Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (Inea).
O pesquisador então analisou os 13.660 nascimentos ocorridos com estimativas da exposição de cada mãe à poluição nas 36 semanas anteriores ao nascimento das crianças, ou seja, no período ideal de gestação Para facilitar a análise e possibilitar a comparação da pesquisa com outros estudos, Moreno dividiu o período de gestação em três trimestres.
Resultados
No período analisado, o baixo peso ao nascer foi encontrado em 9,1% dos casos e o nascimento de prematuros representou 7,4% do total. A partir desses dados, o pesquisador observou que a poluição atmosférica contribui para efeitos adversos da gravidez.
No baixo peso ao nascer, os poluentes que influenciaram esse resultado foram o ozônio (O3) e as partículas inaláveis (PM10), ambos relacionados à exposição materna no segundo e no terceiro semestre de gravidez. Com relação à prematuridade, a substância presente na atmosfera que mais contribui para o aumento de casos é o dióxido de enxofre (SO2), que afeta a gravidez durante os três trimestres.
“Essas três substâncias foram utilizadas para análise dos efeitos dos poluentes, pois são algumas das mais comuns dentro de pesquisas que relacionam saúde e efeitos da poluição”, explica o pesquisador.
Padrões altos
Apesar da influência da poluição ter sido constatada, Moreno explica que em nenhum momento as médias das emissões diárias em Volta Redonda ultrapassaram os limites estabelecidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). “As emissões de dióxido de enxofre, por exemplo, chegavam a atingir no máximo 20 mg/m³ (microgramas por metros cúbicos), quando o Conama estabelece 100 mg/m³ como limite.”
Ele acredita que uma revisão dos padrões de emissão de poluentes seria importante para a política ambiental brasileira e para a saúde pública. “Uma sugestão seria estabelecer uma discussão ampliada com a sociedade para a redução dos padrões brasileiros, tendo por base os índices recomendados pela Organização Mundial de Saúde.” De qualquer forma, o engenheiro explica que mesmo se as emissões de poluentes forem menores do que os limites estabelecidos pelo Conama ou pela OMS, elas podem influenciar negativamente na gravidez.
Contudo, ele entende que a poluição é um importante fator prejudicial para a gravidez. “É claro que outros fatores relacionados ao nível socioeconômico, como nível de escolaridade e acesso a serviços de saúde (pré-natal) influenciam nos resultados. Mesmo assim, a poluição do ar contribui de forma significativa para a prematuridade e para o baixo peso ao nascer, necessitando ser controlada, principalmente, por ser provocada pelo homem”, completa.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Delícia!

Esta noite não foi fácil: tive sonhos horríveis misturados a sonhos improváveis e impossíveis.
Todos péssimos!
Acordei antes da hora e tal. Adormeci lentamente.
Hoje, de manhã acordei com o João Ricardo dando cambalhotas dentro da minha barriga! Sem despertador nem nada...ele me acordou e eu adorei!

Compras

Esta semana começaram as super promoções nas lojas de bebe de São Paulo. Tudo com 40, 50% de desconto. Fui até uma delas em uma tarde sozinha. Fiquei estatizada por uns 5 minutos em frente os acessórios de higiene e alimentação. Uma infinidade de tipos de mamadeiras, de bicos, de marcas...igualmente nas chupetas e milhões de outros itens que eu pegava a embalagem para ler para que serviam as coisas. Enquanto isso, mães descoladas, as vezes com criança no colo e tudo, vinham pegavam uma coisinha e saíam. Comecei a entrar em desespero. Decidi mudar e ir para a parte das roupinhas que consigo entender bem do assunto já. A loja estava uma loucura: mães para todos os lados com bebes e crianças a tiracolo. Tive que ir pulando umas coisas e desviando de pessoas, mas consegui. Milhões de roupinhas fofas para as meninas e quase nada para os meninos. Como boa perua, dei uma piradinha nos vestidinhos de bolinha, xadrezes mil e lilás da vida, ams logo voltava a minha realidade atual: roupa de menino! A vendedora se aproxima super simpática:
- Mamãe, vou te dar esta sacola para você colocar suas compras. Meu nome é Rose e qualquer coisa é só me chamar.
- Oi Rose! Quero macacão para MENINO tamanho P e M. Você pega para mim?
- Claro! Fique a vontade na loja.
Comecei a me soltar mesmo e em questão de minutos a tal sacola fornecida a mim estava completamente cheia e pesada. Adooooro! hehehe
Terminada esta parte, encarei novamente as prateleiras de mamadeiras, chupetas e afins. Consegui levar UMA chupeta. Só. Fiquei com mil dúvidas de marcas e tipos de mamadeiras que não levei nenhuma.
- Vou perguntar para as amigas que já passaram por isso, pensei.
A conta foi estrondosa. Nunca tinha gasto uma grana dessas sem ser comigo mesma. Fiquei meio assim...saí da loja meio que cambaleando mas com o sorriso no rosto. Entrei no carro e pensei: gente, a história está só começando! Esta foi a primeira das milhares de compras e gastos que teremos daqui para frente. Mas quer saber? Economizei meu limite do cartão de crédito durante dezembro e janeiro para fazer este primeiro gasto e agora tomei uma decisão: este cartão será só para comprar coisas para João Ricardo! Ele merece! rs

João Ricardo com 19 semanas de vida!


Cãibras

Ponto principal: as cãibras nas pernas são comuns e desconfortáveis, mas inofensivas. Compressas quentes, massagens e mudanças na alimentação podem ajudar.
Por que estou tendo cãibras nas pernas à noite?
Quando você faz cooper, pratica algum esporte como o tênis ou fica em pé o dia inteiro, seus músculos ficam tão cansados que as cãibras podem aparecer. O mesmo acontece com a gravidez. O peso extra que você está carregando provavelmente é o responsável pelas cãibras noturnas, que podem acordá-la quando você já está no quinto sono. As cãibras acontecem com mais frequência no segundo e no terceiro trimestre.

Entre outras possíveis causas das cãibras da gravidez estão o excesso de fósforo (presente em frios, salgadinhos e refrigerantes) e a escassez de minerais como o cálcio, o magnésio e o potássio em circulação no sangue. Os cientistas ainda não definiram ao certo. Outra possibilidade é a pressão do útero sobre os nervos que vão até as pernas.

Como posso aliviar a dor?
Felizmente, as cãibras são um daqueles problemas da gravidez em que há algo que você possa fazer para amenizar a dor.
Quando a cãibra acontecer:
• Faça alongamentos. Comece esticando a perna -- com os pés flexionados na sua direção, como os jogadores de futebol que puxam a ponta do pé para si quando estão com cãibra. Dificilmente você conseguirá alcançar seus dedos do pé, mas pode ir mexendo devagar o tornozelo e os dedos. No começo vai doer, mas depois a dor deve melhorar.
• Massageie o músculo afetado pela cãibra.
• Tome um banho quente ou coloque uma bolsa de água quente na região afetada (dormir de meia também ajuda).
• Caminhe. Andar por alguns minutos costuma aliviá-las.

Há algo que eu possa fazer para evitar as cãibras?
• Alongue-se antes de dormir. Se você alongar os músculos da panturrilha (a batata da perna) várias vezes antes de ir para a cama, pode até impedir completamente que as cãibras aconteçam.
• Evite passar muito tempo de pé ou sentada com as pernas cruzadas, e tente não usar salto.
• Sempre que estiver sentada, movimente o tornozelo e os dedos do pé -- seja no trabalho, num jantar ou assistindo à TV.
• Coma alimentos ricos em cálcio. Se as cãibras estiverem atrapalhando sua vida, converse com o médico, pois ele pode receitar um suplemento de cálcio (mas evite suplementos que tenham dolomita ou farinha de osso, por causa da possibilidade de eles conterem chumbo; o chumbo é um metal pesado que atravessa a placenta e pode prejudicar o bebê). Você também pode tentar suplementos com magnésio (sempre receitados pelo obstetra).
• Coma bananas e tome suco de laranja, ricos em potássio. Os atletas são fãs dessa terapia para prevenir cãibras, embora muitos consideram que a eficácia dessas frutas no combate à cãibra não passe de um mito. Como banana e laranja só fazem bem em outros aspectos, não custa tentar.
• Evite refrigerantes, que contêm bastante fósforo.

E se a dor não melhorar?
Se a dor for constante, e não uma cãibra ocasional, ou se você perceber inchaço ou sensibilidade, fale com o médico. Você pode estar com trombose, um coágulo sanguíneo, que é um problema raro (um caso a cada 2.000 gestações) mas grave, que precisa de atendimento médico imediato.

Sonhos estranhos

Por que estou tendo sonhos tão estranhos e realistas?
Se seus sonhos estão mais bizarros que o normal, cheios de imagens sexuais, com animais que falam ou fantasmas do passado, os prováveis responsáveis são a progesterona que corre cada vez mais pelas suas veias e a ansiedade e a apreensão com a gravidez e com a perspectiva de se tornar mãe.

Outra razão para seus sonhos terem mudado é o fato de seu sono ser muito mais interrompido pela necessidade frequente de fazer xixi, por uma eventual cãibra ou pelo vira-vira até achar uma posição mais confortável.

O que posso fazer?
Não há muita coisa que você possa fazer. Tente conviver o melhor possível com esse novo mundo virtual. Você pode até registrar os sonhos, escrevendo-os e fazendo um diário. Conte para o seu companheiro o sonho estranho do dia -- vai ver que ele também anda tendo sonhos esquisitos de futuro pai.

Sono no segundo trimestre da gravidez

Aproveite enquanto pode!
No segundo trimestre, seu corpo começa a se adaptar às drásticas mudanças físicas e hormonais por que passou, e você deve conseguir dormir melhor -- isto é, tirando alguns detalhes como as cãibras, os sonhos esquisitos e a congestão nasal. Como a vida às vezes é muito irônica, nessa fase também aumenta seu nível de energia, por isso você não vai se sentir tão precisada do sono quanto no primeiro trimestre.
O cansaço começa a melhorar
É bem provável que você tenha finalmente voltado a dormir um pouco melhor. A invasão de progesterona por que seu corpo passou no começo da gravidez já não é tão intensa -- seus níveis de hormônio continuam crescendo, mas essa elevação agora é mais lenta. Por isso, você deve começar a se sentir menos exausta o tempo todo.
Menos idas ao banheiro
Mais boas notícias: A barriga começou a crescer, abrindo espaço para o bebê, que parou de pressionar tanto a bexiga. Por isso você não precisa mais sair da cama a toda hora para ir fazer xixi. Os enjôos também devem ter passado, ou pelo menos melhorado bastante. Não é à toa que as pessoas comparam o segundo trimestre da gravidez a uma lua-de-mel.
Não desperdice sua energia
Agora que você está se sentindo com mais energia, e dormindo melhor, comece a fazer alguma atividade física regularmente. Isso só vai colaborar para você dormir ainda melhor, além de manter sua saúde física e mental. Não esqueça, porém, que seu sono, por melhor que esteja, não é o mesmo de quando você não estava grávida, e ainda pode ser atrapalhado pelos roncos, pela congestão nasal, pelas cãibras e pelos sonhos super-realistas. Por isso, se seu corpo pedir um cochilo, faça o máximo para descansar.

Nariz entupido

Pontos principais: a rinite alérgica durante a gravidez não causa danos e costuma melhorar uma vez que você tenha dado à luz.

Por que tenho sempre a sensação de estar resfriada?
Nariz escorrendo ou entupido sem qualquer outro sinal de resfriado é uma condição comum durante a gestação. Algumas mulheres chegam a sentir como se estivessem resfriadas nos nove meses da gravidez. Esse estado se chama rinite alérgica e não tem cura.

Como posso ter um pouco de alívio?
Algumas coisas que ajudam nos resfriados podem também auxiliar contra seu nariz entupido.
Se você tiver inalador, faça inalações com soro fisiológico, especialmente antes de dormir. Caso não tenha, encha uma bacia com água bem quente, cubra sua cabeça com uma toalha e aproxime o nariz da superfície. Inspire e expire o ar algumas vezes. Com isso, você provavelmente sentirá alívio na congestão nasal. Um banho quente também ajuda.

Fale com seu médico se a congestão estiver incomodando demais, porque ele poderá receitar algum spray que seja seguro para grávidas.

Por mais desagradável que esse tipo de sintoma seja, ele não dura para sempre e, mais importante ainda, não terá nenhum efeito prejudicial no seu filho. Depois que o bebê nascer, seu nariz deve voltar ao normal.

Desenvolvimento fetal - 19 semanas de gravidez

O feto mede por volta de 15 centímetros da cabeça até o bumbum e pesa aproximadamente de 240 gramas. Seu bebê já começou a engolir o líquido amniótico, e os rins continuam produzindo urina. O cabelo está começando a aparecer.

O desenvolvimento sensorial chega ao auge esta semana. Os neurônios ligados a cada um dos sentidos -- paladar, olfato, audição, visão e tato -- estão se desenvolvimento em suas áreas específicas do cérebro.

A produção de células nervosas diminui, e as células já existentes aumentam de tamanho e formam conexões mais complexas. Se você está esperando uma menina, ela tem mais ou menos 6 milhões de óvulos nos ovários. Quando nascer, esse número terá diminuído para por volta de 1 milhão.

Você chegou à metade da gestação! Agora que está entrando na 20a semana, seu útero chega até o umbigo, e deve crescer cerca de um centímetro por semana. Essa medição normalmente é feita pelo médico com uma fita métrica nas consultas.
Não há dúvida de que você está sentindo os chutes e as cambalhotas do bebê. Às vezes fica até difícil dormir com tanto movimento.

O período que compreende as próximas dez semanas deve ser o de mais agitação física para o bebê, pois depois disso o útero começa a ficar apertado para tamanha movimentação.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Júlia e Gabriel

Folha de São Paulo, 11 de janeiro de 2010

Júlia e Gabriel são os nomes de bebês mais comuns no Brasil
Pesquisa foi realizada por um portal com pais de 28 mil crianças que foram batizadas em 2009

conhece o Enzo? O Yan? E o Derek? Se a resposta for negativa, aguarde alguns anos e cheque a lista de convidados da festa infantil mais próxima. Esses nomes estão em uma lista dos que mais batizaram bebês no Brasil em 2009, respectivamente em 9º, 40º e 99º lugar.
A pesquisa inclui 28 mil bebês de usuários cadastrados no portal BabyCenterBrasil.com, franquia nacional do site que realiza tradicionalmente a consulta no mundo todo. A maior parte desse público está no Sudeste e é de classe média e alta.
Em 2009, segundo a consulta, Júlia (ou Giúlia), Sofia (ou Sophia) e Maria Eduarda, nessa ordem, foram os três nomes femininos mais comuns. Os masculinos foram Gabriel, Artur (ou Arthur) e Mateus (ou Matheus). João, sem segundo nome, está em 30º. Maria nem figura entre os 100 mais comuns (veja a lista completa em www.folha.com.br/100102).
Contudo, Maria e Ana são os nomes preferidos para nomes compostos femininos (como Maria Clara ou Ana Júlia). Henrique é o mais comum entre masculinos (como Pedro Henrique ou João Henrique).
Quase metade dos pais (42%) dizem na pesquisa que escolheram o nome por ele "ter um significado interessante ou importante" e 38% o fizeram por "ser um nome simples".
Em 53% dos casos, a decisão foi dos pais juntos. Em 28%, só da mãe; em 15%, só do pai; em 3%, do irmão; em 1%, dos avós.

Alimentação do bebê pode incluir itens alergênicos

MATÉRIA PUBLICADA NA FOLHA DE SÃO PAULO DESTA SEGUNDA, 11 DE JANEIRO

Pesquisas questionam conceito de atrasar introdução de alimentos como ovo

Sociedades de pediatria e de alergia já modificaram recomendações; segundo especialistas, assunto ainda é polêmico e inconclusivo

O conceito de atrasar a introdução de alguns alimentos na dieta do bebê para prevenir alergias pode cair por terra. Novas pesquisas vêm demonstrando que, ao contrário do que se acreditava, quanto mais tarde o contato com alimentos potencialmente alérgenos, como o ovo, maior a chance de sensibilização da criança.
O assunto, considerado ainda polêmico pelos especialistas, foi tema de debate no último congresso mundial de alergia, que aconteceu no mês passado, em Buenos Aires.
A ideia foi reforçada com a publicação, neste mês, de uma pesquisa no periódico científico "Pediatrics". O estudo tinha como objetivo examinar a relação entre idade de introdução de alimentos sólidos durante o primeiro ano de vida do bebê e sensibilidade alérgica aos cinco anos de idade.
Cientistas finlandeses de várias universidades, incluindo a de Helsinki, acompanharam durante cinco anos 994 crianças. Após avaliar dados como duração do aleitamento materno, níveis de IgE (o principal anticorpo envolvido nas reações alérgicas) e idade com que essas crianças começaram a comer batatas, aveia, centeio, trigo, carne, peixe e ovos, eles concluíram que a introdução tardia desses alimentos esteve mais relacionada ao risco de sensibilidade alérgica. Ovos, aveia e trigo foram os itens mais relacionados às reações.
Os pesquisadores acreditam que haveria uma espécie de momento ideal para a introdução desses alimentos na dieta de crianças pequenas com tendência hereditária, isto é, de famílias alérgicas, com parentes de primeiro grau, como pai, mãe ou irmãos, alérgicos.

Janela imunológica
"Ao que parece, haveria uma janela imunológica que seria o momento ideal para induzir a tolerância aos alimentos", explica a alergista Márcia Mallozi, professora doutora da Universidade Federal de São Paulo.
Isso porque, ao nascer, o sistema imunológico do bebê é extremamente imaturo. Como a alergia é uma resposta exagerada do sistema imune a corpos estranhos, à medida que amadurece ele responderia com mais força a agentes potencialmente causadores de alergias. Se o alimento for introduzido mais tarde, o sistema estaria mais preparado para responder com mais força.
"Hoje já não recomendamos atrasar a introdução de alimentos", diz Ana Paula Moschione, presidente da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia - Regional São Paulo e médica-assistente da unidade de alergia e imunologia do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas, em São Paulo. "Mas também não recomendamos adiantar nada", enfatiza ela. A sociedade americana de pediatria já faz essa recomendação.

Novas recomendações
A partir da mudança da sociedade americana, a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) também fez algumas modificações nas suas recomendações. "Agora, ovos e peixes podem ser introduzidos a partir do sexto mês", diz Roseli Sarni, presidente de departamento de nutrologia da SBP. Antes, ovos eram liberados depois do nono mês e peixes, somente após o primeiro aniversário.
"Manter o aleitamento materno enquanto se introduzem esses alimentos teria um efeito protetor", acrescenta Sarni. A sociedade recomenda o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade.
"São especulações interessantes que podem mudar conceitos usados atualmente, mas ainda não há nada conclusivo", acredita Mallozi.
Segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia, os alimentos que mais causam reações na primeira infância são leite de vaca, ovos, peixes, frutas cítricas e o tomate. Porém a maioria das crianças desenvolve tolerância às frutas e ao tomate em alguns anos. A alergia a peixes e nozes pode continuar até a idade adulta.
Nos adultos, crustáceos, queijos, vinhos, cerveja e temperos são itens que costumam produzir sensibilidade.

sábado, 9 de janeiro de 2010

Necessidade

Quero fazer compras para o João Ricardooooooooooo!!!!

18 semanas de gestação!


Desenvolvimento fetal - 18 semanas de gravidez

Seu bebê mede cerca de 15 centímetros, contando do alto da cabeça até o bumbum, e pesa quase 200 gramas. O peito dele imita o movimento da respiração, mas ele não inspira ar, e sim o líquido amniótico.

Agora no segundo trimestre, normalmente entre a 18a e a 22a semana, os médicos costumam pedir uma ultrassonografia morfológica para acompanhar com mais detalhes o crescimento e o desenvolvimento do bebê, detectar sinais de problemas congênitos, avaliar a placenta e o cordão umbilical e verificar se a idade gestacional está correta.

Durante o exame, você terá a chance de ver o bebê dando chutes, tentando pegar alguma coisa, se virando ou até chupando o dedo. OBA!!! Os ultrassonografistas costumam entregar fotos do bebê às futuras mães ou até mesmo gravar o exame para os pais guardarem de lembrança.

Se você ainda não sabe o sexo do seu bebê, o exame é uma boa chance de descobrir. Se for uma menina, a vagina, o útero e as tubas uterinas já estão no lugar certo. Se for menino, os órgãos genitais são bem fáceis de reconhecer.

Cansaço e novidades

Estou muito, mas muito cansada mesmo. Saio para fazer qualquer coisa e não consigo terminar. O fim. Uma simples ida ao mercado é como correr 30 km de maratona. (afff)
Na segunda começo a hidroginástica e volto as minhas aulas de yoga. Vamos ver se pego no tranco ou desando de vez...
Aliás hoje comprei maiôs para a gestante que vos escreve fazer hidro...Gente que coisa medonha! Aliás fiquei pensando bem se valia gastar R$100 naquela peça sendo que um, biquini estampadinho eu entraria fácil pelo mesmo preço. Demorei uns 20 minutos no provador da Decatlhon pensando: vou usar isso? Mas está horrível...ahahahahaha
Enfim, ainda comprei duas toucas. Vamos ver se aguento as aulas na piscina já que tenho um pouco de receio quanto as madeixas que costumam "endurecer" na prática esportiva na água "enclorada". Vamos ver.
As pernas parecem estar inchadas....Só parecem, mas não estão. Só que incomodam. Dói. Bastante. Haja creme relaxante para pernas!!
Meu cabelo está completamente diferente...a textura, a cor, a forma...É muito engraçado como tudo muda em pouco tempo e voc~e não percebe. Quando se toca já está tudo diferente.
A barriga está bem grande. Uso um travesseiro para barriga que melhora a postura para dormir, mas todo o resto é péssimo. Até espreguiçar de manhã é dolorido e desajeitado, mas vamos lá. Uma hora aprendo! Sou ariana, ora, não desisto assim fácil não. Aliás, não desisto. hehehe