Muito prazer

Minha foto

Comecei a vida em Santos e cresci educada de acordo com as tradicionais regras que, muitas vezes, envolvem o machismo brasileiro. Mudei. Fiz faculdade fora. Ganhei liberdade, responsabilidade e identidade. Hoje, com 32 anos, estou casada com um homem fabuloso e espero nosso primeiro filho. Um sonho de gente grande, mas que espero desde criança: o da maternidade. O assunto sempre me fascinou e hoje, me pego com o corpo começando a deformar e sintomas nada agradáveis. Sabe o bom da história? Dou risada de tudo! Da azia, das ânsias intermináveis, da fome colossal e do tanto de cremes de estrias que hoje povoam meu banheiro. Isso é somente a primeira fase. Tenho certeza que, depois desta gravidez, continuarei rindo de mim mesma por inúmeros motivos, inclusive por me pegar em diversas situações que jamais imaginei passar.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

1 ano


07h20 João "chama". Mamãe dorme, mas acorda rapidamente já com um sorriso no rosto mesmo ouvindo a babá eletrônica estridente com os gritinhos da criança. Mamãe abre a porta do quarto do João: sou recebida com um sorriso em meio a luz fraca da tomadinha incandescente...Comecei a cantar um parabéns pra vc e ele faz o 1 com o dedidnho indicador da mão direita...
Lendo isso, me fale: ele entende ou não? Pois é, durante este último ano da minha vida descobri que as crianças aprendem muito mais rápido do que os adultos. O João ainda não fala muita coisa, mas me entende em tudo, inclusive no festejar do aniversário dele hoje logo cedo.
Enquanto trocava a fraldinha dele, papai também acordou e entrou no quarto feliz da vida cantarolando o parabéns pra vc. João retribuiu com sorriso e palminhas.
Nos abraçamos os 3, rimos e dividimos nossa alegria.
Aproveito para registrar neste bolg (que o João lerá um dia na vida) o quão intenso e importante foi este último ano para mim.
Meu sonho se tornou real e a maternidade chegou para mim. Apesar de todos os perrengues nos primeiros meses de um recém nascidos (e o João teve vários), digo que vale a pena. Muito.
Não entendia ocmo as mães se esqueciam destas situações que provocam um estresse gigantesco na gente, mas agora as entendo: me peguei separando umas fotos para uma retrospectiva no aniversário do João e vi coisas que não me lembrava: pontos de acupuntura para uma tendinite absurda que me deu quando o João tinha 2 meses, arrebentada por não conseguir andar devido a hérnea de disco que me apareceu nos 4 meses dele, fora o cansaço, a falta do sono, as preocupações e as brigas com o Ricardo. Sim, claro, como qualquer casal mortal da face da terra, discutimos muito, (mas muito mesmo) neste primeiro ano do João. Os dois preocupados, estressados, com rotinas completamente alteradas e vida mexida. Isso não resulta em algo bom. Na primeira dificuldade, a gente explode mesmo. E como as dificuldades são inúmeras, as explosões parecem Guerra Mundial, sabe? Um horror...
Mas hoje, graças a Deus, estamos mais felizes do que nunca.
Este post é para deixar registrada a minha felicidade. Um sentimento tão bom, tão prazeroso que passei meia hora de ontem a noite agradecendo a Deus e a Nossa Senhora por me permetirem ser mãe.
Agora, quero agradecer ao Ricardo que me deu este lindo presente. Tudo o que eu quero agora (além de ter outro filho) é que João Ricardo siga o exemplo do pai e seja um homem digno, honesto, bom caráter, carinhoso e amável como o pai dele é.
Amo vcs, meus homens!

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Dia das Mães

O Bog Potencial Gestante é genial.
A Luiza, dona do blog, postou uma mensagem linda de dia das mães e eu gostei tanto que vou replicar aqui.
Não me lembro de ter visto este vídeo no ano passado na TV, mas se eu visse, teria chorado. Muito.
Primeiro porque estava com 8 meses de gravidez. Tipo manteiga derretida, sabe?
Segundo porque eu quis muito, muito, muito, ser mãe. Sempre senti que esta era minha missão aqui nesta vida.
Sonhei com uma família (exatamente com a que eu tenho), mas sonhei mais ainda em ser mãe.
Sei bem o quanto esta espera pelo resultado REAGENTE é aflitiva tanto que quando eu consegui o meu, todo o Pronto Atendimento do Hospital 9 de Julho aqui em São Paulo soube e, diante de tamanha felicidade, nos aplaudiram, eu e o Ricardo: ambos com um sorriso gigante colado no rosto.
Para a mulher que sonha com isso meu conselho é, não desista e vá atrás porque realmente não há conquista alguma nesta vida que s iguala a da maternidade.
É mágico.
Assistam!!

http://youtu.be/83T-D1j_Drk

sábado, 14 de maio de 2011

Beijo e abraço

O Mickey de pelúcia que eu trouxe do Free Shop de Buenos Aires é o grande felizardo dos primeiros carinhos de João Ricardo!!!
Ele o beija no nariz (encosta a boca aberta) e o abraça (meio desajeitado).
Depois a mamãe pede beijinho e ele balança a cabeça fazendo não.
Pode?
Só porque eu fico agarrando e beijando ele o dia inteiro? hehe

Progresso

João Ricardo arriscou uns passinhos ontem a noite.
Mas para isso tem todo um esquema criado por ele mesmo:
Engatinha até um cantinho escondido do sofa;
Daí eu falo: fica em pé, João, fica em pé...
Aí aparece a cabeçinha já rindo;
Vou me aproximando dele o chamando para vir em minha direção e estendendo minha mão esquerda para auxiliar a direita dele.
Aí rola uns 3 passinhos meio "bebados" e depois ele se joga no chão e todos nós caímos na gargalhada.
Delíciaaaaaaaa!!!

sexta-feira, 13 de maio de 2011

'Mamaço' reúne 50 mães na Avenida Paulista


Um ''mamaço'' reuniu cerca de 50 mães ontem no Instituto Itaú Cultural da Avenida Paulista. O protesto ocorreu após, no fim de março, a dona de casa Marina Barão ter sido impedida de amamentar o filho por uma educadora do instituto que acompanhava crianças em uma mostra do artista plástico Leonílson.
"Meu filho estava chorando, tirei o peito para dar leite e ela me pediu gentilmente para sair dali. Disse que eu poderia amamentar na sala do bombeiro, mas estava fechada. Então, fiquei na escada", conta. O caso foi parar na internet, onde se espalhou rapidamente e virou manifesto (pacífico). Cerca de 50 mães estiveram no ato, seguido de performance.
O diretor do instituto, Eduardo Saron, explicou que houve ruído na comunicação. "Uma regra museológica estabelece que não é permitido comer no espaço da exposição. Faz parte dos cuidados para preservação das obras. A educadora não teve culpa, simplesmente entendeu que amamentar também é alimentar."
Depois de dizer que seu filho de oito meses não foi amamentado ("Minha mulher não teve leite"), Saron otimizou o ''mamaço''. Disse que o episódio serviu para ele rever a política de atendimento ao público, manifestou apoio ao evento e afirmou que está pensando em programação para esse público específico. "Vamos investir em contação de histórias e peças específicas para bebês."
Vários grupos de apoio à amamentação estavam representados. Como o Facebook retirou do ar uma foto em que Kalu Brum, do grupo Mamíferas, aparecia amamentando seu filho, algumas participantes do manifesto resolveram publicar imagens em que aparecem oferecendo o peito aos filhos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Antibióticos

Não era meu post mais esperado para ser digitado, mas, não sou hipócrita de dizer que "jamais imaginei isso...", mas João Ricardo está tomando, pela primeira vez, antibiótico. O diagnóstico é eritema multiforme. De acordo com o Wikipédia, trata-se de uma reação imunológica das mucosas e da pele. Essa reação pode estar associada ao herpes ou a uma possível reação alérgia a medicamentos e/ou alimentos. O paciente passa então a apresentar erupções nas mucosas e na pele, podendo apresentar também bolhas e ulcerações em alguns casos. O envolvimento bucal é comum, e caracterizado por uma erupção eritematosa vésiculo-bolhosa.
Pois JR está com várias feridinhas do seu delicado rostinho lindo e meigo. Ficou bem irritado: o pediatra me alertou que coça e arde muito. Coitado.
Bom, comprei o medicamento e dei sem culpa. Estou passando a pomada (que também é antibiótica) e os ferimentos estão amis secos.
João amanheceu melhor, mais animado, tomou suco, almoçou, dormiu nos horários de costume e, ao que parece, a vida dele voltou ao normal. Claro que a minha ainda não voltou, mas está voltando...

terça-feira, 3 de maio de 2011

Batizado





Sim, ele foi batizado. Quase se jogou na pia batismal...tocou o terror na igreja...o padre ficou meio emburrado e o João riu a valer o tempo todo.
Foi uma delícia!!!

Primeiras palavras

Hoje, exatamente nesta terça-feira, 03 de maio, João Ricardo balbuciou sua primeira palavra consciente.
Ele olhava para o teto da cozinha e falava: usssss, usssss, ussss. Traduzindo: luz! Sim, o peuqneo falou luz olhando para a luz. Lua ele não fala, mas sabe que ela está lá em cima no céu: ele olha para o céu quando perguntamos onde está a lua...
Pa pa pa pa iiiiiiiiiiii ele soltou no fim de semana. Mas não olhou para o papai o chamando não, só soltou estas sílabas em uma troca de fraldas.
Agora ele chora quando eu vou embora. Se eu brincar, pegá-lo no colo e depois deixá-lo, ele chora.
Posso falar? Eu fico me achando...rsrsrsrs