Muito prazer

Minha foto

Comecei a vida em Santos e cresci educada de acordo com as tradicionais regras que, muitas vezes, envolvem o machismo brasileiro. Mudei. Fiz faculdade fora. Ganhei liberdade, responsabilidade e identidade. Hoje, com 32 anos, estou casada com um homem fabuloso e espero nosso primeiro filho. Um sonho de gente grande, mas que espero desde criança: o da maternidade. O assunto sempre me fascinou e hoje, me pego com o corpo começando a deformar e sintomas nada agradáveis. Sabe o bom da história? Dou risada de tudo! Da azia, das ânsias intermináveis, da fome colossal e do tanto de cremes de estrias que hoje povoam meu banheiro. Isso é somente a primeira fase. Tenho certeza que, depois desta gravidez, continuarei rindo de mim mesma por inúmeros motivos, inclusive por me pegar em diversas situações que jamais imaginei passar.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Ser mãe é deixar de ser “eu” para ser “nós”.


Ser mãe é algo divino, é morrer de ansiedade no primeiro mês de gestação pra ter... uma barriga enorme e saber logo o sexo do bebê, já no nono mês, morrer de ansiedade pra ver o rostinho do bebê.

Ser mãe é pensar no parto como um divisor de mundos. Ser mãe é chorar quando o filho está doente e morrer de rir com as besteiras que eles fazem.

Ser mãe é passar noites acordada e acordar com um sorriso enorme no rosto.

Ser mãe é deslumbrar (quase babar) em ver o filho se descobrindo.

É ficar orgulhosa com a primeira palavra, com o primeiro passo, quando passar no vestibular, quando casar...

É também sentir ciume das(os) namoradas (os).

Ser mãe é sentir uma mãozinha tão pequenina acariciando o rosto. É ouvir uma vozinha dizendo “Te amo, mamãe!” e sentir que são verdadeiras aquelas palavras.

Ser mãe é amar incondicionalmente!

Ser mãe é descobrir que pode amar ainda mais um homem por vê-lo passar talco no filho brincar com ele e cuidar com tanto carinho.

Ser mãe É se apaixonar pelo marido por razões que antes não eram românticas .

Ser mãe é ficar madrugadas acordadas esperando o filho chegar de uma festa.

Ser mãe é uma função que nunca termina. Os filhos crescem, mas continuamos achando que são bebês!

Ser mãe é aguardar o memento de ser avó, para fazer tudo de novo, numa dimensão de doçura, amar, cuidar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário