Muito prazer

Minha foto

Comecei a vida em Santos e cresci educada de acordo com as tradicionais regras que, muitas vezes, envolvem o machismo brasileiro. Mudei. Fiz faculdade fora. Ganhei liberdade, responsabilidade e identidade. Hoje, com 32 anos, estou casada com um homem fabuloso e espero nosso primeiro filho. Um sonho de gente grande, mas que espero desde criança: o da maternidade. O assunto sempre me fascinou e hoje, me pego com o corpo começando a deformar e sintomas nada agradáveis. Sabe o bom da história? Dou risada de tudo! Da azia, das ânsias intermináveis, da fome colossal e do tanto de cremes de estrias que hoje povoam meu banheiro. Isso é somente a primeira fase. Tenho certeza que, depois desta gravidez, continuarei rindo de mim mesma por inúmeros motivos, inclusive por me pegar em diversas situações que jamais imaginei passar.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Compras de Natal

Definitivamente por mais consumista que eu seja e por sentir que uma comprinha é melhor do que um comprimido de antidepressivo, haja paciência para fazer as compras de Natal. Agora grávida então...as sacolas viram um pesadelo. Mudei a tática. Ao invés de comprar tudo de uma vez só, acabei indo 3 vezes ao shopping. Foi melhor. Mesmo assim, as sacolas....affff
Consegui comprar tudo o que eu queria e mais um pouco, óbvio. Mas foi ótimo.
O mais legal vou contar: sempre compro uma roupa nova para ser usada no Natal e outra no Reveillón. Assim como novas calcinhas tb. Fiz isso. Agora a melhor parte: SAPATOSSSSSS!!!!
Gente, essa foi boa.
Ficava horas escolhendo umas 2 ou 3 sandálias novas para incrementar meu verão. Sempre nesta época, junto com a compra dos presentes de Natal. Desta vez foi diferente. Olhei muito, experimentei várias e levei duas. Duas pelo preço de uma. ahahahaha
Comprei duas rasteirinhas (chiques, brilhosas e com pedras, claro, mas rasteirinhas)!!!
Isso é um recorde para mim que sou fã super assumida do salto alto, maior símbolo da feminilidade da mulher. Foi meio dolorido gastar dinheiro com rasteirinhas...tenho dó, fazer o que? Agora se fosse um belo salto alto preto, poderia custar o dobro que não ficaria com pena alguma, ao contrário, falaria: eu mereço! Sim, esta é a Neila!

Nenhum comentário:

Postar um comentário