Muito prazer

Minha foto

Comecei a vida em Santos e cresci educada de acordo com as tradicionais regras que, muitas vezes, envolvem o machismo brasileiro. Mudei. Fiz faculdade fora. Ganhei liberdade, responsabilidade e identidade. Hoje, com 32 anos, estou casada com um homem fabuloso e espero nosso primeiro filho. Um sonho de gente grande, mas que espero desde criança: o da maternidade. O assunto sempre me fascinou e hoje, me pego com o corpo começando a deformar e sintomas nada agradáveis. Sabe o bom da história? Dou risada de tudo! Da azia, das ânsias intermináveis, da fome colossal e do tanto de cremes de estrias que hoje povoam meu banheiro. Isso é somente a primeira fase. Tenho certeza que, depois desta gravidez, continuarei rindo de mim mesma por inúmeros motivos, inclusive por me pegar em diversas situações que jamais imaginei passar.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Viagens

Viajamos para passar o Natal em Fernando de Noronha. Simplesmente maravilhoso! Tudo de bom. Claro que tive de cortar alguns passeios programados como as caminhadas históricas por ladeiras, trilhas longas para praias lindas...mas tudo bem. Faz parte da maternidade. Até que me saí bem. Esperava menos de mim. Enjoei sim. Não no avião, mas no barco. O mar de Noronha é bem agitado e as embarcações que circulam lá são pequenas, ou seja, o balanço do mar vira uma chacoalhada geral e isso para uma mamãe não é muito legal. Mas como disseram os guias, foi ótimo pois alimentei os peixinhos...ahahahahaah
O lugar é Paradisíaco. A cada passeio, ficava imaginando se meu bebê poderia sentir aquele entusiasmo que estava sentindo vendo coisas tão belas. Sorria e colocava a mão na minha barriga para tentar passar algo para ele (a). Tomara que tenha chegado áté lá...rs
A barriga despontou bastante nesta última semana. Ainda mais usando biquini o dia todo, não tinha como negar a gravidez. Todos na Ilha me chamavam de mamãe. Amei! Não vi outra grávida por lá a menos que seja de pouco tempo que não notei a barriga.
Percebi que viajar na gravidez é tranquilo e que tudo depende do seu cuidado e de saber respeitar seus limites. Andamos de buggy por uma semana em um terreno de terra e pedras (a única via asfaltada da Ilha é a BR). Claro que a gente deu umas ratiadas, mas quando balançava demais, eu gritava e o Buga assustava. Arianaaaaa....afff
Aos trancos e barrancos foi tudo certinho. Desfrutei super das preferências para tudo: desde embarque nos passeios de barcos, a primeira da fila nas trilhas e, claro, nos aeroportos. Aliás, estou amando esta coisa de preferência. É ótimo! Realmente não imaginava a necessidade disso, mas agora sentindo na pele, vejo a real importância. Não dá para ficar muito tempo em pé, não dá para andar demais, não dá para carregar muita coisa, não dá para dirigir muito...enfim, tudo tem limite e este limite é bem menor do que o normal. Aos poucos, com o passar da gestação, a gente aprende.

Nenhum comentário:

Postar um comentário