Muito prazer

Minha foto

Comecei a vida em Santos e cresci educada de acordo com as tradicionais regras que, muitas vezes, envolvem o machismo brasileiro. Mudei. Fiz faculdade fora. Ganhei liberdade, responsabilidade e identidade. Hoje, com 32 anos, estou casada com um homem fabuloso e espero nosso primeiro filho. Um sonho de gente grande, mas que espero desde criança: o da maternidade. O assunto sempre me fascinou e hoje, me pego com o corpo começando a deformar e sintomas nada agradáveis. Sabe o bom da história? Dou risada de tudo! Da azia, das ânsias intermináveis, da fome colossal e do tanto de cremes de estrias que hoje povoam meu banheiro. Isso é somente a primeira fase. Tenho certeza que, depois desta gravidez, continuarei rindo de mim mesma por inúmeros motivos, inclusive por me pegar em diversas situações que jamais imaginei passar.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Cãibras

Ponto principal: as cãibras nas pernas são comuns e desconfortáveis, mas inofensivas. Compressas quentes, massagens e mudanças na alimentação podem ajudar.
Por que estou tendo cãibras nas pernas à noite?
Quando você faz cooper, pratica algum esporte como o tênis ou fica em pé o dia inteiro, seus músculos ficam tão cansados que as cãibras podem aparecer. O mesmo acontece com a gravidez. O peso extra que você está carregando provavelmente é o responsável pelas cãibras noturnas, que podem acordá-la quando você já está no quinto sono. As cãibras acontecem com mais frequência no segundo e no terceiro trimestre.

Entre outras possíveis causas das cãibras da gravidez estão o excesso de fósforo (presente em frios, salgadinhos e refrigerantes) e a escassez de minerais como o cálcio, o magnésio e o potássio em circulação no sangue. Os cientistas ainda não definiram ao certo. Outra possibilidade é a pressão do útero sobre os nervos que vão até as pernas.

Como posso aliviar a dor?
Felizmente, as cãibras são um daqueles problemas da gravidez em que há algo que você possa fazer para amenizar a dor.
Quando a cãibra acontecer:
• Faça alongamentos. Comece esticando a perna -- com os pés flexionados na sua direção, como os jogadores de futebol que puxam a ponta do pé para si quando estão com cãibra. Dificilmente você conseguirá alcançar seus dedos do pé, mas pode ir mexendo devagar o tornozelo e os dedos. No começo vai doer, mas depois a dor deve melhorar.
• Massageie o músculo afetado pela cãibra.
• Tome um banho quente ou coloque uma bolsa de água quente na região afetada (dormir de meia também ajuda).
• Caminhe. Andar por alguns minutos costuma aliviá-las.

Há algo que eu possa fazer para evitar as cãibras?
• Alongue-se antes de dormir. Se você alongar os músculos da panturrilha (a batata da perna) várias vezes antes de ir para a cama, pode até impedir completamente que as cãibras aconteçam.
• Evite passar muito tempo de pé ou sentada com as pernas cruzadas, e tente não usar salto.
• Sempre que estiver sentada, movimente o tornozelo e os dedos do pé -- seja no trabalho, num jantar ou assistindo à TV.
• Coma alimentos ricos em cálcio. Se as cãibras estiverem atrapalhando sua vida, converse com o médico, pois ele pode receitar um suplemento de cálcio (mas evite suplementos que tenham dolomita ou farinha de osso, por causa da possibilidade de eles conterem chumbo; o chumbo é um metal pesado que atravessa a placenta e pode prejudicar o bebê). Você também pode tentar suplementos com magnésio (sempre receitados pelo obstetra).
• Coma bananas e tome suco de laranja, ricos em potássio. Os atletas são fãs dessa terapia para prevenir cãibras, embora muitos consideram que a eficácia dessas frutas no combate à cãibra não passe de um mito. Como banana e laranja só fazem bem em outros aspectos, não custa tentar.
• Evite refrigerantes, que contêm bastante fósforo.

E se a dor não melhorar?
Se a dor for constante, e não uma cãibra ocasional, ou se você perceber inchaço ou sensibilidade, fale com o médico. Você pode estar com trombose, um coágulo sanguíneo, que é um problema raro (um caso a cada 2.000 gestações) mas grave, que precisa de atendimento médico imediato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário