Muito prazer

Minha foto

Comecei a vida em Santos e cresci educada de acordo com as tradicionais regras que, muitas vezes, envolvem o machismo brasileiro. Mudei. Fiz faculdade fora. Ganhei liberdade, responsabilidade e identidade. Hoje, com 32 anos, estou casada com um homem fabuloso e espero nosso primeiro filho. Um sonho de gente grande, mas que espero desde criança: o da maternidade. O assunto sempre me fascinou e hoje, me pego com o corpo começando a deformar e sintomas nada agradáveis. Sabe o bom da história? Dou risada de tudo! Da azia, das ânsias intermináveis, da fome colossal e do tanto de cremes de estrias que hoje povoam meu banheiro. Isso é somente a primeira fase. Tenho certeza que, depois desta gravidez, continuarei rindo de mim mesma por inúmeros motivos, inclusive por me pegar em diversas situações que jamais imaginei passar.

domingo, 1 de novembro de 2009

Cigarro

Tudo parecia ótimo até o dia 08 de setembro (leia o post com este título). Diminui o cigarro. Quase não fumava. Mas depois de tudo o que aconteceu, queimava nicotina e alcatrão mais do que nunca na minha vida. Em 08 de outubro, um alerta: vc está grávida e não pode mais fumar. Incorporei, mas o vício bateu a porta. Não consigo largar esta maldição que se chama cigarro. Choro, sofro, imagino todo o mal que posso estar fazendo ao meu bebezinho e nada adianta. Choro mais por isso. É horrível. Eu e o Buga estamos brigando com o assunto agora. Ele acha que eu devo por si só, pelo fato de carregar um ser dentro de mim. De verdade? Eu também acho. Na teoria é lindo o discurso, mas na prática não funciona. Ele fumando seu Marlboro vermelho nos cômodos da casa onde eu não estou. Sinto o cheiro de cigarro, imagino ele dando as malditas tragadas...É horrível. Tento me controlar. Bebo água, como frutas, faço os diabos e nada me deixa esquecer do maldito cigarro. Este é meu objetivo hoje: para de fumar. Não pela gravidez, pelo bebe e por tudo que todo mundo adora me dizer sem imaginar o quão difícil é ouvir aquilo e se sentir a pior pessoa do mundo, mas por mim. Fumar não é um hábito saudável. Quero parar. mas parar de vez. Quero odiar cigarro, quero não poder sentir o cheiro disso. E eu vou conseguir. Tenho certeza! Como disse o primo do Ricardo para mim, Alexandre Fosneca, neuro-cirurgião mega-inteligente: Neila, mais que força de vontade, para parar de fumar é preciso determinação. O vício da nicotina é pior que o da cocaína. Determinação e vc consegue! Estou na luta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário