Muito prazer

Minha foto

Comecei a vida em Santos e cresci educada de acordo com as tradicionais regras que, muitas vezes, envolvem o machismo brasileiro. Mudei. Fiz faculdade fora. Ganhei liberdade, responsabilidade e identidade. Hoje, com 32 anos, estou casada com um homem fabuloso e espero nosso primeiro filho. Um sonho de gente grande, mas que espero desde criança: o da maternidade. O assunto sempre me fascinou e hoje, me pego com o corpo começando a deformar e sintomas nada agradáveis. Sabe o bom da história? Dou risada de tudo! Da azia, das ânsias intermináveis, da fome colossal e do tanto de cremes de estrias que hoje povoam meu banheiro. Isso é somente a primeira fase. Tenho certeza que, depois desta gravidez, continuarei rindo de mim mesma por inúmeros motivos, inclusive por me pegar em diversas situações que jamais imaginei passar.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Proteja sua “barriga” da poluição

Que a poluição é prejudicial à saúde todo mundo já sabe, mas tem muita mamãe gravidinha que acredita que só pelo fato de seu bebê estar guardado dentro da sua barriga a poluição não prejudica o seu desenvolvimento. Não é bem por aí.

Gestantes que estiveram expostas a altos índices de poluição principalmente nos três primeiros meses e últimas semanas de gestação geraram bebês prematuros ou abaixo do peso esperado.

Pelo menos foi isso que concluíram os pesquisadores da Universidade de Medicina e Odontologia de Nova Jersey, nos Estados Unidos, que observaram durante quatro anos mais de 330 mil gestantes. Os dados da gestação e do nascimento foram comparados com as medidas de poluição do ar obtidas pela Agência Americana de Proteção Ambiental.

O epidemiologista e coordenador da pesquisa David Rich afirma que a poluição traz restrições ao crescimento da criança e nascimentos prematuros. Isso acontece porque a poluição pode alterar as células dos fetos ou fazer com que recebam menos oxigênio e nutrientes.

Já na Universidade de Columbia, também nos Estados Unidos, pesquisadores afirmam que o ar respirado pela mulher durante a gravidez interfere no desenvolvimento cognitivo da criança.

A pesquisa acompanhou 249 crianças e suas mães desde a gestação até os cinco anos de idade. No período final da gestação as mamães usaram um medidor da qualidade do ar e quando as crianças fizeram cinco anos de idade foram submetidas ao testes de coeficiente intelectual (QI).

A conclusão foi de que crianças que as mães ficaram expostas a ambientes mais poluídos tiveram desempenho de 4 a 5 pontos inferior às crianças em que as mães viviam em ambientes com melhor qualidade de ar.

As variáveis como relação da família em relação ao aprendizado e exposição aos poluentes depois do nascimento também foram consideradas, mas mesmo assim a exposição pré-natal foi significante.

“É preciso fazer mais para impedir a deterioração ambiental, não deixando que isso prejudique as crianças”, diz a responsável pelo estudo, Linda Birnbaum.

Portanto, atenção redobrada para a poluição se a mulher estiver grávida. Sabemos que sozinhos não evitaremos a farta emissão de monóxido de carbono no ar. Por esse e outros motivos que devemos conservar o nosso ambiente e pedir aos governantes leis e medidas que preservem o planeta.

Dicas

Evite lugares de muito trânsito ou áreas industriais que jogam muitos poluentes no ar.

Ao fazer caminhadas ou exercícios físicos ao ar livre fique atenta para a qualidade do ar.

Se morar perto de uma via muito agitada, feche as janelas nos horários de maior movimento.

Um comentário:

  1. Neiloca, querida. Muito bom acompanhar de perto seu desejo de engravidar, a confirmação da gravidez e, agora, ver sua barriguinha crescendo semana a semana. Melhor ainda poder compartilhar este momento tão especial também estando grávida. Ainda vamos levar esses bebês para tomar muito solzinho na praça! E nessa época, nem lembraremos dos enjôos cruéis que nos atormentam... bjs,

    ResponderExcluir